A CONSTRUÇÃO DOS AFETOS EM UMA CULTURA DA VIRTUALIDADE

  • Geny Alexandre dos Santos Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - Lisboa
  • Maria Rita Galdino Silva Uninassau/Caruaru

Resumo

Com o advento da globalização, no século XX, e desenvolvimento tecnológico associado, a sociedade vivenciou transformações marcantes e hoje chega à contemporaneidade, tendo na cultura da virtualidade uma das suas mais significativas constituições. Os modos de subjetivação e construção de afetos sofreram grande influência a partir disso, a exemplo dos relacionamentos que passaram a ser intermediados por uma tela e os sentimentos representados por emoticons. Assim, esse estudo objetiva tecer uma reflexão crítica, acerca de como as mais variadas dimensões do mundo contemporâneo influenciam o campo subjetivo dos sujeitos, sendo capaz de redefinir as construções afetivas. A partir do método qualitativo de caráter bibliográfico, levantamos uma revisão de obras e autores referendados nos principais temas aqui expostos a fim de possibilitar o alargamento da discussão. Os estudos aqui analisados apontam que o tempo sofreu forte influência nessa nova sociedade, o imediatismo está refletido em cada área da vida humana e as pessoas, presas a uma falsa liberdade que lhe é propagada, tentam incansavelmente corresponder a cada aspecto para estarem “atualizadas”, na ordem da produção e do consumo. Os relacionamentos têm a marca da efemeridade e sua “desconexão” através de um click, ao mesmo tempo que temem relacionamentos mais sólidos e constantes, agarram-se ao medo da solidão. Esse modelo de relações virtuais, pouco diz respeito das relações constituintes da alteridade. Com os ícones substituindo os sentimentos, a individualidade, também, substitui a consciência de que se precisa do outro para ser no mundo.

Palavras Chave: Globalização; Cultura da Virtualidade; Afetos.

Biografia do Autor

Geny Alexandre dos Santos , Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - Lisboa

Psicóloga clínica – CRP 02/15.299, Terapeuta de Casal e Família pelo Instituto Libertas. Mestre em Ciências da Educação com ênfase em Educação Inclusiva. Doutora em Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia - Lisboa

Publicado
2020-07-30