HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi <p style="text-align: justify;">A Revista&nbsp;<strong><em>Hon no Mushi</em></strong>, Qualis B3, ligada ao Programa de Pós-Graduação em Letras da UFAM (PPGL) e ao Curso de Letras - Língua e Literatura Japonesa, configura-se em um espaço crítico e reflexivo voltado à promoção e expansão da interlocução de ideias, culturas, bem como a convergência de estudos científicos diversos e novos conhecimentos nos campos da literatura, da língua e da cultura japonesas e do ensino de línguas. Assim, acolhe os desdobramentos revelados nas mais distintas formas de expressão científica, constituindo-se em verdadeiro e legítimo convite a diferentes inscrições a partir da fecunda multiplicidade de olhares.</p> <p style="text-align: justify;">&nbsp;</p> <p style="text-align: justify;">&nbsp;</p> <p style="text-align: justify;">&nbsp;</p> Universidade Federal do Amazonas - Ufam pt-BR HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 2526-3846 <p>Os direitos autorais pertencem à Revista Hon no Mishi - Estudos Multidisciplinares Japoneses e aos autores de cada artigo. Todo trabalho ou parte dele, quando citado ou utilizado, deve ser referenciado.&nbsp;</p> EDIÇÃO COMPLETA https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8780 <p>Edição completa</p> Yûki Mukai Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 1 1 10.52077/hm.v5i9.8780 SUMÁRIO https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8781 <p>Sumário</p> Yûki Mukai Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 1 1 APRESENTAÇÃO https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8782 <p>Apresentação</p> Yûki Mukai Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 7 12 10.52077/hm.v5i9.8782 A NARRATIVA SOBRE A IMIGRAÇÃO JAPONESA EM AUTOBIOGRAFIAS (1980-1988) https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8284 <p>A partir da metade da década de 1980 e mais especificamente devido aos 80 anos da imigração japonesa, em 1988, emergiram mais expressivamente obras escritas por imigrantes japoneses e descendentes que buscavam a construção da memória dos nikkeis. Esse período é significativo por concretizar-se uma literatura nikkei, composta principalmente de autobiografias e romances. Assim, o objetivo deste artigo é analisar as autobiografias escritas pelos imigrantes que abordam, sobretudo, o mundo do trabalho e enfatizam os sofrimentos vividos nas fazendas de café, a superação dos problemas através do <em>gambarê</em>, a ajuda cooperativa da comunidade nipônica e a vitória desses indivíduos no Brasil. Para as análises, selecionamos três autobiografias: “Samurai da Paz: Saga de um Imigrante Japonês” (1982); “Toda uma vida no Brasil” (1984) e “Sob dois horizontes” (1988). Metodologicamente, analisaremos as literaturas na perspectiva de Pierre Bourdieu (2002), compreendendo autobiografias como um discurso oficial de si e marcada pelo sucesso econômico e social. Como resultados, sugerimos que os autores desejavam deixar os seus registros para as gerações futuras. Narravam-se as suas histórias e o processo imigratório cronologicamente, acentuando os sofrimentos e as dificuldades.</p> Luana Martina Magalhães Ueno Copyright (c) 2020 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 13 34 10.52077/hm.v5i9.8284 A TRAJETÓRIA HISTÓRICA DO ENSINO DE LÍNGUA JAPONESA NO AMAZONAS https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8563 <p>O presente artigo tem como objetivo levar ao público, principalmente aos docentes que atuam na área de ensino de língua japonesa, a trajetória histórica do ensino de língua japonesa no Amazonas e a sua importância no cenário do ensino de línguas. A investigação contribuirá tanto no aspecto cultural bem como no educacional. Aos estudantes de língua japonesa poderá servir como eventual fonte de pesquisa para trabalhos acadêmicos, tanto na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), onde existe o Curso de Letras - Língua e Literatura Japonesa, quanto nas Escolas Estaduais de Ensino Bilíngue de Língua Portuguesa/Japonesa, de Ensino Fundamental e Médio. Para tanto, o artigo aborda as fontes de informações de materiais elaborados em língua japonesa, pois até recentemente (menos de 20 anos) foram os imigrantes da primeira geração que trataram de registrar e elaborar, em língua japonesa, os acontecimentos pertinentes ao ensino do japonês no Amazonas. Significa, nesse sentido, que investigar sobre a trajetória do ensino da língua japonesa no Amazonas é estabelecer a conexão com a história da imigração japonesa no Amazonas, pois como afirma Morales (2010, p. 2) “[...] toda trajetória do ensino de língua japonesa no Brasil não pode ser dissociada desse contexto que começou com a imigração de japoneses até chegar ao processo de integração de seus descendentes à sociedade brasileira [...]”.</p> Ken Nishikido Copyright (c) 2020 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 35 46 10.52077/hm.v5i9.8563 CRENÇAS SOBRE AS DIFICULDADES DOS ALUNOS NO APRENDIZADO DE JAPONÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8561 <p>A presente pesquisa tem como objetivo investigar as crenças e dificuldades dos discentes de nível intermediário do Curso de Licenciatura em Língua Japonesa da Universidade de Brasília, acerca do aprendizado de língua japonesa. Para isso, este estudo alicerçou-se no arcabouço teórico para a definição e discussão sobre a língua japonesa, as crenças, além da compreensão das importâncias acerca de habilidades linguísticas e suas respectivas dificuldades. Dessa forma, utilizou-se de subsídio teórico-metodológico da pesquisa quanti-qualitativa, viabilizada pela abordagem interpretativa e engajada em um estudo de caso coletivo. A pesquisa foi desenvolvida com 26 participantes do curso acima referido. Para a coleta de dados, foram utilizados os instrumentos a seguir: a) questionário semiaberto, b) autorrelatos e c) entrevistas semiestruturadas. Os resultados desta pesquisa mostraram que os participantes consideram a conversação como principal habilidade linguística no aprendizado de japonês e, concomitantemente, a conversação é entendida como uma habilidade difícil por eles. Foi revelado, também, que existe a dualidade entre as crenças e ações, as quais influem de modo multinível na importância atribuída às habilidades linguísticas e consequentemente em suas respectivas dificuldades.</p> Lucas Fernandes de Vasconcellos Yuki Mukai Copyright (c) 2020 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 47 71 10.52077/hm.v5i9.8561 A MOTIVAÇÃO E APRENDIZAGEM: ESTUDO DE CASO DOS ALUNOS DO CURSO DE LÍNGUA E LITERATURA JAPONESA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS (UFAM) https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8195 <p>Esta pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso e tem como objetivo identificar e analisar dados referentes a motivação dos alunos do curso de Língua e Literatura Japonesa da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Apresenta-se um perfil geral dos estudantes e alguns fatores que contribuíram para aumentar ou diminuir sua motivação intrínseca e extrínseca. Para isso foram utilizados dados coletados de um questionário misto (questões abertas e fechadas) aplicado entre os dias 23 de abril e 10 de maio de 2018 nas turmas de primeiro, terceiro, quinto, sétimo e nono período do curso de Língua e Literatura Japonesa da UFAM, somando o número total de 101 alunos. Os dados coletados foram analisados de acordo com a teoria do Monitor de Stephen Krashen, a teoria da Expectativa de Victor Vroom e a teoria da autodeterminação de Ryan e Deci e estão apresentados em forma de estatística, comparação e discussões. Concluiu-se que a motivação dos discentes é mais afetada por fatores extrínsecos, como o ambiente em que estão inseridos no contexto acadêmico e doméstico. A motivação varia de acordo com as individualidades dos discentes, pois enquanto uma situação pode ser motivadora pra um aluno, para outro representa fator de desmotivação.</p> Bruna Aguiar Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 72 102 10.52077/hm.v5i9.8195 CAN-DO PARA CRIANÇAS – ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS: PROPOSTAS PARA O ENSINO DE JAPONÊS https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8442 <p>O ensino-aprendizagem na escola regular requer uma atenção cuidadosa por parte dos docentes para que se compreenda as demandas atuais da sociedade e da juventude. Ensinar uma língua estrangeira, portanto, ultrapassa ensinar apenas a língua: é necessário elaborar propostas pedagógicas que criem pontes de relação entre língua, cultura e comunidade. O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma proposta pedagógica do ensino de japonês em uma escola regular sob a ótica do Can-do para Crianças (NAKAJIMA &amp; SUENAGA, 2018), a fim de compartilhar a experiência e propor reflexões teórico-metodológicas que fomentem novas discussões no campo do ensino-aprendizagem de Japonês no Brasil.<span class="Apple-converted-space">&nbsp;</span></p> Antonio Marcos Bueno da Silva Júnior Ana Clara Hanae Kakinohana Pires Priscila Yamaguchi Leal Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 105 116 10.52077/hm.v5i9.8442 QUEM É O MONSTRO? CONFIGURAÇÕES DO GROTESCO NO CONTO “O PEQUENO MONSTRO VERDE”, DE HARUKI MURAKAMI https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8622 <p><strong>RESUMO</strong>: A coletânea de contos intitulada “O elefante desaparece”, do escritor Haruki Murakami apresenta um conjunto de narrativas que entrelaçam caracteres da realidade com aspectos que dialogam frutuosamente com o insólito. Neste sentido, intentamos investigar algumas representações do grotesco no texto “O pequeno monstro verde”. A trama narrativa é aparentemente simples do ponto de vista arquitetônico, no entanto, nos subtextos e intertextos verificamos a pulsão de debates em torno de temas, tais como: a monstruosidade, os sujeitos e a violência, o duplo e suas projeções distorcidas da realidade e etc. Nossa abordagem sobre o grotesco parte do pensamento de teóricos como Julio Jeha, Victor Hugo e Célia Magalhães. Ao analisarmos o conto sob o espectro do grotesco é evidente a coadunação entre o monstro e a personagem central que exerce sobre ele, ao longo da narrativa, um poder de subversão das lógicas referentes ao monstro e ao medo, ou seja, na narrativa de Murakami nem tudo o que parece ser, no fim das contas é,&nbsp; podendo ser algo totalmente avesso à racionalização primeira do ser delineado como monstro.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Monstruosidade; Grotesco; Monstro; Conto; Murakami; Literatura.</p> Francisco Alves Gomes Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 117 135 10.52077/hm.v5i9.8622 A ODIOSA REPARTIÇÃO DO CORPO: A FRAGILIDADE DIVINA EM OSSOS DE DEUS, DE YASUNARI KAWABATA https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8431 <p>Diante de sua fragilidade brutal e pressurosa, o homem, ao longo da história, investiu seu futuro em predileções, esperanças e receios, numa busca incessante por um amparo superior. A religião, antes mesmo de dissipar-se em instituições, das quais extrae seu aparato doutrinário, resguarda, das primícias ritualísticas do passado, sua dimensão pacificadora, que, na medida da suportabilidade neurótica, refrigera o primitivo desejo por um acalanto frente ao futuro incerto. Eis a conjectura literária do escritor neossensorialista Yasunari Kawabata (1899-1972), cuja obra envereda pela dimensão do divino em sua lógica mais pura, deixando, às escâncaras, as insígnias do desamparo. Desse modo, propomo-nos analisar, à luz da ciência freudiana, o texto supracitado, buscando, em seu (des)encontro com a oratória bíblica, uma exposição do desejo humano perante a necessidade de nomear a ausência e, com efeito, domar as forças que doestam a vida, ou seja, o morrer. Para tanto, utilizaremos os escritos de Sigmund Freud (1927), de Menezes (2012) e Françoise Dolto (1996).</p> Matheus Pereira de Freitas Hermano de França Rodrigues Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 136 151 10.52077/hm.v5i9.8431 CERIMÔNIA DO CHÁ JAPONESA: VALORES, RITUAIS E ASPECTOS ESPACIAIS https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8435 <p>A cerimônia de chá passou por mudanças essenciais ao longo de sua história abrangendo uma variada gama de participantes. “Uma vida, um encontro”: o lema que sintetiza o espírito da cerimônia de chá sugere uma atenção ao momento presente, uma valorização ao que se vive com o acolhimento de todas as imperfeições - <em>wabi-sabi</em> - que se sucedem da natureza, encontrados nos utensílios aos mais delicados gestos, além de olhar para o outro como alguém com quem se compartilha um pouco de si. Para o aprofundamento deste entendimento, tanto o zen-budismo, quanto o importante mestre de chá Sen no Rikyu, tiveram grande influência em uma transformação no cerne do ritual. De um item presente em banquetes burgueses ao purificar da alma em uma reunião intimista, a bebida se encontra há muito na sociedade japonesa e, com ela, é possível verificar uma mudança tanto na linguagem utilizada, quanto nas relações sociais, refletidas também nos espaços arquitetônicos destinados à sua realização.</p> Izabela Brettas Baptista Carlos Henrique Magalhães de Lima Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 152 164 10.52077/hm.v5i9.8435 PESSOAS INESQUECÍVEIS https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/HonNoMushi/article/view/8302 <p>Kunikida Doppo (1871-1908) nasceu em Chōshi, na província de Chiba, como Kunikida Tetsuo. Filho ilegítimo de um samurai e da empregada de uma pousada, ele foi criado pela mãe e pelo marido desta. Sua educação foi irregular, mas ele entrou na Tōkyō Senmon Gakkō, atual Universidade de Waseda, para estudar literatura inglesa, curso que não concluiu. Converteu-se ao cristianismo, teve um casamento fracassado, casou-se novamente, atuou como jornalista, editor e escritor. Morreu na penúria de tuberculose. Kunikida é considerado um dos precursores do naturalismo no Japão, mas o estilo lírico de sua prosa, o apreço pelos poemas de Wordsworth e seu encanto pela natureza o classificariam como um romântico. Em “Pessoas Inesquecíveis” (“Wasureenu Hitobito”, 1898), Ōtsu, um escritor desconhecido, descreve pessoas que encontra em circunstâncias que as tornam especiais para ele, pessoas comuns que o tocam profundamente e das quais não consegue se esquecer. &nbsp;</p> Karen Kawana Copyright (c) 2021 HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-03-18 2021-03-18 5 9 165 178 10.52077/hm.v5i9.8302