A INCLUSÃO DE UMA ALUNA COM A SÍNDROME DE MARSHALL NA ESCOLA COMUM

  • Michell Pedruzzi Mendes Araújo Universidade Federal do Espírito Santo
  • Camila Reis dos Santos Universidade Federal do Espírito Santo
  • Sabrina da Silva Machado Trento Universidade Federal do Espírito Santo
  • Dirlan de Oliveira Machado Bravo Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Síndrome de Marshall. Inclusão escolar. Escola comum.

Resumo

Este estudo objetiva trazer à tona os aspectos fenotípicos e genotípicos da síndrome de Marshall e, principalmente, concernentes ao processo de inclusão dos sujeitos com essa síndrome na escola comum. Para atingir esses objetivos foi desenvolvido um estudo de caso clássico com uma aluna que possui a síndrome de Marshall. Os resultados obtidos foram analisados a partir da perspectiva histórico-cultural do desenvolvimento humano. Por meio do desenvolvimento dessa pesquisa é possível inferir que o processo de inclusão escolar dos sujeitos com transtornos globais do desenvolvimento é possível desde que eles sejam vislumbrados a partir de suas potencialidades e os aspectos genotípicos e fenotípicos presentes nos laudos não sejam focalizados a partir de uma ótica limitadora.

Biografia do Autor

Camila Reis dos Santos, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutoranda em Biologia Vegetal-PPGBV-UFES. Mestra em Educação- PPGE-UFES. Bióloga- UFES. Professora de Biologia da rede Estadual de educação do Espírito Santo.

Sabrina da Silva Machado Trento, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestranda em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (PPGE/CE/UFES). Licenciada em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo e graduada em Pedagogia pela Universidade de Uberaba (UNIUBE). Especialista em Educação Física Escolar para a educação básica (UFES). Professora de Educação Infantil da Prefeitura Municipal da Serra/ES. Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Inclusão-GEPEI-UFES.

Dirlan de Oliveira Machado Bravo, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutoranda em Educação (PPGE/CE/UFES). Mestra em Educação (PPGE/CE/UFES). Licenciada em Pedagogia (Faculdade São Geraldo). Professora das redes Municipais de Ensino de Cariacica e de Viana. Professora do curso de Pedagogia da Faculdade Multivix (Cariacica-ES). Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Inclusão-GEPEI-UFES.

Referências

ALBERTS, B.; BRAY, D.; LEWIS, J.; RAFF, M.; ROBERTS, K.; WATSON, J. D. Biologia molecular da célula. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola: de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2013.

DRAGO, R. Inclusão na Educação Infantil. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2011.

FREITAS, M. C. de. O aluno incluído na educação básica: avaliação e permanência. São Paulo: Cortez, 2013.

GIL, A. C. Estudo de caso. São Paulo: Atlas, 2009.

JOSSO, M. C. A transformação de si a partir da narração de histórias de vida. Educação, 2007, n. 3 (63), p. 413-438, set./dez. 2007.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2003.

LOBO, L. F. Os infames da história: pobres, escravos e deficientes no Brasil. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

MARWAH, P.; JOSHI, S. Marshall Syndrome. Indian Pediatrics, 2005; 42:177-178.

PAULA, R. G.; ALONSO, N.; CURADO, T. A. F.; PAULA, T. M. G.; ROSIS, R. G. de.; ROSIS, R. G. de.; COLORADO, C. E. Relação entre sequência de Robin e síndrome de Stickler: importância do diagnóstico precoce. Rev Bras Cir Craniomaxilofac. 2010; 13(3): 132-8.

PICCOLO, G. M.; SILVA, S. C. da. A defectologia em Vygotski: do proposto ao pensado na Educação Especial. Revista Digital Lecturas, Educación Física y Deportes. ano V, n. 192, maio/2014. Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd192/a-defectologia-em-vygotski.htm>. Acesso em 20 de Junho de 2014.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Nova Hamburgo: Feevale, 2013.
SANTOS, C. R. Professores com deficiência no município de Vitória: vidas que compõem histórias. 2013. 153f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.

VIBRANOVSKI, M. D.; ARA, E.; SALLA, L. C.; KLEIBER, N.; BARREIRO, R, A. S. Genética Mutações, perda e ganho de funções. Disponível Em . Acesso em 22 jun. 2014.

VYGOTSKI, L, S. Obras escogidas: fundamentos de defectología. Tomo V. Madrid: Visor, 1997.
Publicado
2019-06-28