Conflitos étnicos em unidades de conservação no Solimões - Amazonas

  • Katiane Silva Museu Nacional - UFRJ

Resumo

Este artigo discute alguns aspectos do conflito étnico protagonizado pelos moradores dacomunidade Itaboca e pelos indígenas Cocama da aldeia Santa União, situados na confluênciaentre duas unidades de conservação: a Reserva Extrativista Auati-Paraná e a Reservade Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, localizadas no estado do Amazonas. A principalatividade econômica é o manejo comunitário do pescado, sobretudo do pirarucu. De acordocom alguns moradores da região, essa atividade reacendeu antigas desavenças e causou novosconflitos entre moradores e instituições gestoras das reservas. Os gestores empenham-seem conter os conflitos que surgiram a partir dessa nova modalidade de uso social dos recursosnaturais. O modelo comunitário-cristão institucionaliza os papéis sociais na tentativa deefetivar o “desenvolvimento sustentável”, no qual os seres humanos devem viver em harmoniae sempre sob a tutela externa de especialistas ambientais para legitimar as intervençõespolíticas e administrativas.

Palavras-chave: conflitos étnicos, produção de identidade, mediação de conflitos, unidadesde conservação.

Publicado
2015-06-18
Como Citar
SILVA, Katiane. Conflitos étnicos em unidades de conservação no Solimões - Amazonas. Wamon - Revista dos alunos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFAM, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2015. ISSN 2446-8371. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/wamon/article/view/944>. Acesso em: 23 nov. 2017.
Seção
Artigos