De pescadores e marisqueiras negr@s a quilombolas: Processo de etnogênese na comunidade de São Braz/ Santo Amaro - BA

  • Roseni Santana Calazans Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Resumo

Este artigo reflete o processo de configuração da identidade étnica quilombola na comunidade de São Braz, Santo Amara - Recôncavo da Bahia. Aqui analisamos a descoberta dos direitos, em que contexto surge o movimento que luta pelo título definitivo do território e quais aspectos mobilizam o grupo nesta luta por direitos; como se torna público o desrespeito sofrido pela coletividade e a organização destes pela delimitação do território pleiteado. A abordagem é feita considerando o modelo descritivo das etnogêneses proposto por Maurício Andion Arruti.  Ao passar por inúmeros conflitos territoriais, o estopim foi a ameaça da construção de um megaempreendimento hoteleiro que os mobiliza a conquistar a certidão quilombola no ano de 2009 junto a Palmares. Após esta vitória, o coletivo se articula e conquista a abertura do processo de titulação junto ao INCRA em 2012. Mesmo com o relatório antropológico concluído, a continuidade do processo ainda é extremamente lenta.

Publicado
2019-01-12
Como Citar
CALAZANS, Roseni Santana. De pescadores e marisqueiras negr@s a quilombolas: Processo de etnogênese na comunidade de São Braz/ Santo Amaro - BA. Wamon - Revista dos alunos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFAM, [S.l.], v. 3, n. 1, jan. 2019. ISSN 2446-8371. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/wamon/article/view/5202>. Acesso em: 17 jun. 2019.
Seção
Artigos