ANTROPOLOGIA DA PERFORMANCE: O REAL IMAGINADO COM O IMAGINÁRIO NO PROCESSO CRIATIVO NA CONSTRUÇÃO DA PERFORMANCE MÒ(O) NÓHSÊ

  • Luiz Davi Vieira Gonçalves Universidade do Estado do Amazonas Universidade do Estado do Amazonas
  • Humberto Issao Sueyoshi Universidade de São Paulo
  • Wagner de Oliveira Bomfim Junior Universidade do Estado do Amazonas (UEA)

Resumo

A antropologia se reinventa a cada dia com múltiplas faces e se coloca a todo instante em interface com diversas áreas do conhecimento, destaco para este ensaio performativo a relação com a Arte; especificamente com o Teatro Performativo. A performance com sua linguagem múltipla aparece como um dos caminhos para nos conduzir ao entendimento e construção do outro, ou, pelo menos, uma forte fundamentação reflexiva acerca do hibridismo antropológico e teatral. Antropologia da Performance, surge de forma profícua para diversas estudiosos como mediadora desta convergência entre teatro e antropologia a partir da parceria entre o antropólogo Victor Turner e o diretor de teatro Richard Schechner. Sobretudo, nos tempos atuais diversos pesquisadores e núcleos de pesquisas se dedicam a esse caminho.

 

Tomando o caminho da escrita performativa ofereço ao leitor o texto em formato de imagem com o objetivo de coadunar o real imaginado (do ator) com o imaginário (da performance e do próprio leitor). A base para essa reflexão é o processo criativo da performance Mó(o)nóhse, uma construção realizada pelo Núcleo de Pesquisa e Experimentações das Teatralidades Contemporâneas e suas Interfaces Pedagógicas: TABIHUNI/CNPq/UEA que atua na cidade de Manaus com intervenções artísticas, performances-art e eventos científicos ligado ao estudo da Antropologia da Performance e processos criativos. 

Schechner (2011 p. 29) salienta que o ato de realizar performance pode ser entendido em relação as noções elementares como as flexões verbais: sendo, fazendo, mostrar fazendo e explicar “mostrar fazendo”. Estas noções serão úteis para dar prosseguimento às provocações estéticas que este ensaio performativo apresenta.

A performance Mó(o)nóhse aqui em destaque, teve como objetivo a busca do eu interior de cada performer presente no grupo. Cada membro conduzia aos ensaios suas reflexões sobre mundo a sua volta e as colocavam em diálogo com as atividades de criação; essa por sua vez eram expressadas em locais abertos com transeuntes lançando olhares ao acontecimento – novamente o imaginário sobre o real imaginado. Assim o processo criativo se desenvolvia mediante o encontro do eu interior.

Portando, oferecemos ao leitor, talvez espectador, talvez apenas um curioso, o pouco do caminho imagético que o grupo percorreu na construção de obra artística pautada em leituras do campo da antropologia e do teatro. 

 

Publicado
2017-08-08
Como Citar
GONÇALVES, Luiz Davi Vieira; SUEYOSHI, Humberto Issao; BOMFIM JUNIOR, Wagner de Oliveira. ANTROPOLOGIA DA PERFORMANCE: O REAL IMAGINADO COM O IMAGINÁRIO NO PROCESSO CRIATIVO NA CONSTRUÇÃO DA PERFORMANCE MÒ(O) NÓHSÊ. Wamon - Revista dos alunos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da UFAM, [S.l.], v. 2, ago. 2017. ISSN 2446-8371. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/wamon/article/view/3712>. Acesso em: 17 dez. 2017.
Edição
Seção
Ensaio Fotográfico