MODO DE VIDA CAMPONESA: MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NA COMUNIDADE BOM JESUS NA ESTRADA DA EMADE –TEFÉ-AM/Mode of camponesa life: changes and permanences in the community Bom Jesus on the road of EMADE -Tefé/AM

  • Nágila dos Santos Situba Universidade Federal do Amazonas
  • Massilene Mesquita Universidade Federal do Amazonas

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo analisar as mudanças e permanências dos modos de vida camponesa da comunidade Bom Jesus, situada na estrada da Emade, município de Tefé-Amazonas. Neste sentido, as transformações e permanências ocorridas nesta comunidade estão relacionadas à abertura da estrada da Emade (1997) e a instalação da Empresa Amazonense de Dendê na década de 1980. Além disto, outro elemento agregado a essas mudanças é o processo de urbanização que se expandiu em todo o globo terrestre, trazendo consigo transformações nos modos de vida, no cotidiano e na relação cidade e comunidade. Os resultados obtidos apontam mudanças no que se refere aos modos de vida, hábitos alimentares e atividades agrícolas que caracterizavam os camponeses. Além disto, outras atividades se inseriram no cotidiano dos camponeses como: extração de madeira, carpintaria, comércio, produção de carvão, servidor público etc.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Licenciada em geografia pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA. Mestra em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas das Cidades da Amazônia Brasileira - NEPECAB.

##submission.authorWithAffiliation##

Licenciada em Geografia pela universidade do Estado do Amazonas - UEA. Mestra pela Universidade Federal do Amazonas-UFAM. 

Referências

AMARAL, S. et al. Comunidades ribeirinhas como forma socioespacial de expressão urbana na Amazônia: uma tipologia para a região do Baixo Tapajós (Pará-Brasil). R. bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, p. 367-399, jul./dez. 2013.

CASTELLS, M. A sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

DOLLFUS, O. O espaço Geográfico. 4 ed. São Paulo, 1982.

HARRIS. M. Presente ambivalente: uma maneira amazônica de estar no tempo. In: ADAMS. C. et al. Sociedades caboclas amazônicas: modernidade e invisibilidade. São Paulo: Annablume, 2006.

HOBSBAWM, E. Pessoas Extraordinárias – Resistências, Rebelião e Jazz. 2ª edição, 1999.

KAUTSKY, K. A questão Agrária. Tradução: Otto Erich Walter Maas. Nova Cultura: São Paulo, 1986.

LEFEBVRE, H. A vida cotidiana no mundo moderno. Tradução Alcides João de Barros. Editora Ática S.A: São Paulo, 1991.

MARX, K. Formações Econômicas pré-capitalistas. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2011.

MARQUES, M. M. A atualidade do uso do conceito de camponês. Revista Nera, ano 11, n. 12, Janeiro/Junho, 2008.

MONTE-MÓR, R. L. O que é o urbano, no mundo contemporâneo. Revista paranaense de desenvolvimento, Curitiba, n.111, p. 09-18, jul./dez, 2006.

MOREIRA, R. A formação espacial brasileira: contribuição crítica aos fundamentos espaciais da geografia do Brasil. 2ª ed. Consequência: Rio de Janeiro, 2014.

SHANIN, T. A definição de camponês: conceituação e desconceituação: o velho e o novo em uma discussão marxista. Estudos CEBRAP, n° 26, Editora vozes, 1980.

PAULINO, E. T. Por uma Geografia dos camponeses. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

WANDERLEY, M. N. B. Raízes históricas do Campesinato Brasileiro. In: TEDESCO, João Carlos. Agricultura Familiar: realidades e perspectivas. 3 ed. Ed. UFP: Passo Fundo, 2001.
Publicado
2018-04-04
Como Citar
SITUBA, Nágila dos Santos; MESQUITA, Massilene. MODO DE VIDA CAMPONESA: MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NA COMUNIDADE BOM JESUS NA ESTRADA DA EMADE –TEFÉ-AM/Mode of camponesa life: changes and permanences in the community Bom Jesus on the road of EMADE -Tefé/AM. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 9, n. 31, p. 106-115, abr. 2018. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/4386>. Acesso em: 18 out. 2018. doi: https://doi.org/10.21170/geonorte.2018.V.9.N.31.106.115.