ESTIMATIVA DAS EROSIVIDADES ANUAIS E MAPEAMENTO PARA O ESTADO DO CEARÁ/ Estimation of erosivity annual and mapping for the State of Ceará

  • Jacques Carvalho Ribeiro Filho Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Júlio Cesar Neves dos Santos
  • José Ribeiro de Aruajo Neto
  • Luis Cesar de Aquino Lemos Filho
  • Jose Bandeira Brasil

Resumo

A erosão hídrica tem apresentado elevado potencial de redução na capacidade produtiva dos solos além de ocasionar problemas ambientais relacionados ao assoreamento e poluição dos recursos hídricos. Entre os diversos fatores ligados à erosão, a erosividade das chuvas é um dos mais importantes. O potencial da chuva para gerar erosão do solo é conhecido como erosividade, sendo sua estimativa fundamental para a compreensão da vulnerabilidade do recurso solo de uma determinada região. Nesse sentido, o trabalho objetiva especializar as informações de erosividade anual das chuvas para o Estado do Ceará-Brasil.  O Estado do Ceará está subdividido em 12 bacias hidrográficas, para uma melhor gestão dos recursos hídricos de cada região. Com área total de 148.825,6 km², o estado apresenta a 1,75% do território nacional. O uso da geoestatística mostrou-se adequado para a mensuração da dependência espacial da chuva e erosividade para o Estado do Ceará, tendo o modelo teórico exponencial apresentadou melhor resultado. Constatou-se que as maiores alturas pluviométricas e índices de erosividade foram registrados nas bacias do litoral, já as menores, na área mais central do Estado do Ceará. Quanto. à erosividade, nota-se que a região litorânea classifica-se como alta (7.000 < R < 9.000 MJ mm ha-1 h-1 ano-1), já o restante do estado classifica-se como média (5.000 < R < 7.000 MJ mm ha-1 h-1 ano-1). 

Publicado
2017-12-22
Como Citar
FILHO, Jacques Carvalho Ribeiro et al. ESTIMATIVA DAS EROSIVIDADES ANUAIS E MAPEAMENTO PARA O ESTADO DO CEARÁ/ Estimation of erosivity annual and mapping for the State of Ceará. REVISTA GEONORTE, [S.l.], v. 8, n. 30, p. 1-15, dez. 2017. ISSN 2237-1419. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/3773>. Acesso em: 22 jul. 2018. doi: https://doi.org/10.21170/geonorte.2017.V.8.N.30.1.15.
Seção
Artigos