Práticas de cura popular na Amazônia: um ensaio a partir do conceito de Habitus em Pierre Bourdieu

  • Gladson Rosas Hauradou Universidade Federal do Amazonas
  • Simone Eneida Baçal de Oliveira

Resumo

Reflete-se sobre as “práticas de cura popular” presentes no contexto amazônico tomando-se como referência teórico-metodológica alguns trabalhos que discutem a temática em tela na região. Esta apreensão é conduzida com base no conceito de habitus proposto por Pierre Bourdieu (2007) para o qual o habitus define-se como sistema de disposições socialmente constituídas que, enquanto estruturas estruturadas e estruturantes, constituem o princípio gerador e unificador do conjunto das práticas e das ideologias características de um grupo de agentes. À luz do conceito, buscou-se entender as intervenções dos “agentes-de-cura-amazônidas” na relação “saúde-doença”, do contexto em questão, situando-as como o conjunto das práticas e das ideologias que lhes são características. Constatou-se que esses manipuladores de conhecimentos tradicionais reavivam o habitus criando e recriando-o continuamente quando lançam mão das práticas de cura popular para fazer frente às demandas por atenção à “saúde” na região.


 


Palavras-chave: Práticas de cura. Habitus. Conhecimentos tradicionais.

Publicado
2017-12-01
Como Citar
HAURADOU, Gladson Rosas; OLIVEIRA, Simone Eneida Baçal de. Práticas de cura popular na Amazônia: um ensaio a partir do conceito de Habitus em Pierre Bourdieu. Revista Eletrônica Mutações, [S.l.], v. 8, n. 15, p. 0264-0276, dez. 2017. ISSN 2178-7018. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/relem/article/view/4263>. Acesso em: 20 maio 2018.