A Representação e Cotidiano da Amazônia no Contexto das Obras: Amazônia, Paraíso dos Naturalistas (Hideraldo Costa) Pescas, piquiniques, banhos, a cultura e os lazeres locais no olhar dos viajantes do século XIX (Simone Villanova)

  • Naia Maria Guerreiro Dias Universidade Federal do Amazonas- Instituto de Ciências Sociais e Zootecnia-ICSEZ

Resumo

 


O presente artigo foi construído a partir de reflexões epistemológicas das obras de Hideraldo Costa, Amazônia: Paraíso dos Naturalistas e de Simone Villanova: Pescas, piquiniques, banhos, a cultura e os lazeres locais no olhar dos viajantes do século XIX, buscando as fontes, as metodologias, os aportes teóricos que utilizaram para construir sua produção historiográfica. Faz-se uma análise comparativa sobre o modo como esses historiadores narram a história construída acerca do objeto de estudo, contextualizando o período histórico e espacial que dialogam com suas fontes, apontando ainda alguns contribuições do historiador para a produção do saber histórico sobre a Amazônia na contemporaneidade.


Palavras-chave: Amazônia, representação, cotidiano, viajantes naturalistas.

Publicado
2017-12-01
Como Citar
DIAS, Naia Maria Guerreiro. A Representação e Cotidiano da Amazônia no Contexto das Obras: Amazônia, Paraíso dos Naturalistas (Hideraldo Costa) Pescas, piquiniques, banhos, a cultura e os lazeres locais no olhar dos viajantes do século XIX (Simone Villanova). Revista Eletrônica Mutações, [S.l.], v. 8, n. 15, p. 0072-0076, dez. 2017. ISSN 2178-7018. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/relem/article/view/2885>. Acesso em: 19 set. 2018.