IMPACTO DA EDUCAÇÃO COLONIZADA SOBRE O BEM ESTAR DE ÍNDIOS, NEGROS E MESTIÇOS NA AMAZÔNIA (AMAZONAS- BRASIL)

  • Suely Aparecida do Nascimento Mascarenhas Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Resumo

Neste artigo analisamos indicadores associados ao impacto histórico da colonização da educação formal sobre identidade, soberania e bem estar na Amazônia brasileira. A pesquisa recorreu a amostra de 1716 habitantes do estado do Amazonas que anônima e voluntariamente responderam a instrumento próprio sobre informações socioeconômica, culturais e bem estar psicossocial. Os resultados demonstram baixo investimento histórico na infraestrutura educacional o que impacta no cenário de opressão social, evidenciando elevada necessidade de orientação para a soberania, cidadania, autonomia e realização pessoal, de modo a influenciar a melhoria dos indicadores de bem estar psicossocial e realização pessoal de negros, indígenas e mestiços na Amazônia. Concluímos que há uma história subterrânea que necessita ser rememorada, incluída e valorizada no currículo escolar e nos processos de educação informal nos âmbitos familiar e comunitário na Amazônia brasileira, promovendo o exercício consciente da soberania e cidadania para todos os habitantes do país.

Publicado
2019-01-04
Como Citar
MASCARENHAS, Suely Aparecida do Nascimento. IMPACTO DA EDUCAÇÃO COLONIZADA SOBRE O BEM ESTAR DE ÍNDIOS, NEGROS E MESTIÇOS NA AMAZÔNIA (AMAZONAS- BRASIL). Revista Ensino de Ciências e Humanidades - RECH, [S.l.], v. 3, n. 2, Jul-Dez, p. 232-248, jan. 2019. ISSN 2594-8806. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/rech/article/view/5159>. Acesso em: 19 mar. 2019.
Seção
Artigos