IMPACTO DA EDUCAÇÃO COLONIZADA SOBRE O BEM ESTAR DE ÍNDIOS, NEGROS E MESTIÇOS NA AMAZÔNIA (AMAZONAS- BRASIL)

  • Suely Aparecida do Nascimento Mascarenhas Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Resumo

Neste artigo analisamos indicadores associados ao impacto histórico da colonização da educação formal sobre identidade, soberania e bem estar na Amazônia brasileira. A pesquisa recorreu a amostra de 1716 habitantes do estado do Amazonas que anônima e voluntariamente responderam a instrumento próprio sobre informações socioeconômica, culturais e bem estar psicossocial. Os resultados demonstram baixo investimento histórico na infraestrutura educacional o que impacta no cenário de opressão social, evidenciando elevada necessidade de orientação para a soberania, cidadania, autonomia e realização pessoal, de modo a influenciar a melhoria dos indicadores de bem estar psicossocial e realização pessoal de negros, indígenas e mestiços na Amazônia. Concluímos que há uma história subterrânea que necessita ser rememorada, incluída e valorizada no currículo escolar e nos processos de educação informal nos âmbitos familiar e comunitário na Amazônia brasileira, promovendo o exercício consciente da soberania e cidadania para todos os habitantes do país.

Publicado
2019-01-04
Como Citar
MASCARENHAS, Suely Aparecida do Nascimento. IMPACTO DA EDUCAÇÃO COLONIZADA SOBRE O BEM ESTAR DE ÍNDIOS, NEGROS E MESTIÇOS NA AMAZÔNIA (AMAZONAS- BRASIL). Revista Ensino de Ciências e Humanidades - RECH, [S.l.], v. 3, n. 2, Jul-Dez, p. 232-248, jan. 2019. ISSN 2594-8806. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/rech/article/view/5159>. Acesso em: 18 jun. 2019.
Seção
Artigos

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.