EMBATES PELA IGREJA:

CLERO REGULAR E CLERO SECULAR NO ESPAÇO LUSO-AMAZÔNICO

  • Isabela Cristina Botelho Senna Albuquerque Universidade Federal do Amazonas

Resumo

No período em estudo existia o Clero Regular constituído pelos sacerdotes pertencentes às ordens religiosas que deveriam viver afastados das populações, nos mosteiros ou conventos e o Clero Secular que exercia o ministério numa paróquia, interagindo com os paroquianos. Suas estruturas judicial e jurisdicional próprias de governo, implicavam diretamente nas suas relações, visto que os conflitos tiveram que ser resolvidos pela coroa portuguesa, durante toda a primeira metade do século XVIII e início do século XIX. Através do método comparativo, é possível perceber as relações cotidianas da Igreja e sua nova territorialização no Maranhão, Grão-Pará e Rio Negro observando o período entre 1750 a 1777. O estudo revelou que a Coroa era a causa de alguns tipos de conflitos devido a sua interferência nos trabalhos da Igreja e por utilizar-se da mesma em seu benefício por meio da política regalista de Marquês de Pombal.

Publicado
2020-03-06