TERRITORIALIDADES COLONIAIS

AGENTES INTERNOS E EXTERNOS NA CONFORMAÇÃO DAS FRONTEIRAS AMAZÔNICAS (SÉCULO XVII)

  • Fernando Roque Fernandes Universidade Federal do Amazonas/Professor Assistente A - Universidade Federal do Pará/Estudante de Pós-Graduação (Doutorado)

Resumo

A região amazônica se constituiu como exemplo ímpar de colonização no Novo Mundo. Suas especificidades se conformaram para além dos estabelecimentos coloniais portugueses. Diferentes sujeitos e grupos sociais foram responsáveis pelo desenvolvimento de um cotidiano colonial com características próprias. O status de unidade administrativa autônoma, denominada primeiramente de Estado do Maranhão, não foi a única diferença evocada na relação com o Estado do Brasil. Legislações específicas, diversidade de produtos naturais, alto contingente populacional indígena e a intensa presença estrangeira fizeram desta região um espaço particular no ambiente colonial. Desse modo, o objetivo deste texto é apresentar uma breve reflexão sobre os principais agentes responsáveis pela conformação das fronteiras sociais amazônicas no século XVII, especificamente da região denominada de delta amazônico. Para tanto, apresentaremos algumas análises que procuram dar conta de noções como lugar, espaço, fronteiras e territorialidades de modo a possibilitar uma problematização inicial sobre o estabelecimento de um cotidiano colonial característico daquela região. Em seguida, apresentamos breves considerações sobre as relações estabelecidas entre alguns agentes que compartilharam este vasto território, concorrendo para a (re)configuração de fronteiras sociais naquela região.

Biografia do Autor

Fernando Roque Fernandes, Universidade Federal do Amazonas/Professor Assistente A - Universidade Federal do Pará/Estudante de Pós-Graduação (Doutorado)

Atualmente, é Professor do Departamento de Educação Escolar Indígena (DEEI) da Faculdade de Educação (FACED) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) onde atua no Curso de Formação de Professores Indígenas (FPI). Doutorando em História Social da Amazônia pelo Programa de Pós-Graduação em História (PPHIST) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Professores e Relações Étnico-Raciais (GERA/UFPA). Desenvolve pesquisas relacionadas aos Movimentos Indígenas no Brasil, Educação Escolar Indígena  na Amazônia Brasileira e Povos Indígenas e Ensino Superior no Amazonas.

Publicado
2019-10-08