ELES PENSAM QUE A ESCOLA É O LUGAR ONDE SE EDUCA AS CRIANÇAS

DIÁLOGOS SOBRE O APRENDER NA EXPERIÊNCIA COTIDIANA

  • Amanda Cristina Danaga Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Resumo

Este texto propõe uma reflexão sobre “estar no mundo Guarani” e seus modos de conhecer, entendidos como algo que se estabelece e se constitui na prática da vida cotidiana. Nesse sentido, a circulação dos saberes entre os Guarani assemelha-se ao que Tim Ingold (2010) denominou de “educação da atenção” (enskillment), onde a percepção é fundamental para a edificação de uma forma de apreender que envolve as experiências vividas. A sugestão é refletir a respeito de como os Guarani constroem o seus modos de vida consoantes ao ambiente, com base na antropologia do conhecimento, da noção de engajamento e da proposta analítica “organismo-pessoa” de Ingold. O texto busca, ainda, trazer uma abordagem sobre qual o lugar da educação escolar em todo esse processo, tendo como foco os Tupi Guarani (uma das parcialidades guarani) que vivem na aldeia Renascer em Ubatuba-SP.

Publicado
2019-01-03
Como Citar
DANAGA, Amanda Cristina. ELES PENSAM QUE A ESCOLA É O LUGAR ONDE SE EDUCA AS CRIANÇAS. Educamazônia - Educação, Sociedade e Meio Ambiente, [S.l.], v. 21, n. 2, Jul-Dez, p. 81-97, jan. 2019. ISSN 2358-1468. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educamazonia/article/view/5096>. Acesso em: 19 maio 2019.
Seção
Artigos