EDUCAÇÃO INCLUSIVA: INCLUIR NO ÂMBITO ESCOLAR NÃO É O MESMO QUE ESTAR INSERIDO NO ÂMBITO EDUCACIONAL

  • Dayane de Oliveira Rocha Menezes Universidade Nilton Lins

Resumo

Este trabalho tem como a importância de diferenciar a concepção de educação inclusiva no âmbito escolar para inclusão no âmbito educacional, pois, os respectivo termos possuem distinções entre si na execução de implementação da educação inclusiva. Tem como objetivo refletir o processo de desenvolvimento das políticas públicas voltadas para a educação inclusiva e suas eficácias para o alcance dos demandados e distinguir a diferença entre os dois termos citado na temática. No primeiro momento da pesquisa apontaremos como se deu o processo de inclusão e como eram tratadas as pessoas que possuíam algum tipo de deficiência, o surgimento das instituições que possibilitaram o acesso de um atendimento mais humanizado para com estas pessoas. No segundo momento mostraremos os dispositivos legais que garantem e asseguram o direito da pessoa com necessidades à educação. E por fim, o desafio da execução de implementação da política de educação inclusiva, que norteia todo um processo que envolve a escola, a família, as instituições de formação de professores, a sociedade e o Estado. A pesquisa é realizada a partir de uma revisão biográfica que concerne à compreensão do acesso e permanência dos educandos com necessidades especiais no sistema escolar e suas interações no âmbito educacional.


 

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil.1988. Vade Mecum/ obra coletiva de autoria da Editora Saraiva com a colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto, Marcia Cristina Vaz dos Santos Windt e Livia, Céspedes. – 11. Ed. Atual. e ampl. – São Paulo: 2011.
__________. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: UNESCO, 1994.
__________. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. UNESCO, Jomtiem/Tailândia, 1990.
__________. Decreto Nº 3.956, de 8 de outubro de 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Guatemala: 2001.
__________. Documento subsidiário à política de inclusão / Simone Mainieri Paulon, Lia Beatriz de Lucca Freitas, Gerson Smiech Pinho. – Brasília : Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005. Disponível em: < portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/docsubsidiariopoliticadeinclusao.pdf>. Acessado em 10 de jan de 2018
__________. Estatuto da Criança e do Adolescente no Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Vade Mecum/ obra coletiva de autoria da Editora Saraiva com a colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto, Marcia Cristina Vaz dos Santos Windt w Livia, Céspedes. – 11. Ed. Atual. e ampl. – São Paulo: 2011.
__________. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Vade Mecum/ obra coletiva de autoria da Editora Saraiva com a colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto, Marcia Cristina Vaz dos Santos Windt w Livia, Céspedes. – 11. Ed. Atual. e ampl. – São Paulo: 2011.
__________. Ministério da Educação. Lei nº 10.172, de 09 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: < www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm>. Acessado em 10 de jan de 2018.
__________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Lei Nº. 7.853, de 24 de outubro de 1989. Disponível em: . Acessado em 10 de jan de 2018.
__________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2014-pdf/16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014>. Acessado em 10 de jan de 2018.
__________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Disponível em: < www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm>. Acessado em 10 de jan de 2018.
__________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília: MEC/SEESP, 2001. Disponível em: < portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf>. Acessado em 10 de jan de 2018.
__________. Saberes e práticas da inclusão: recomendações para a construção de escolas inclusivas. [2. ed.] / coordenação geral SEESP/MEC. – Brasíla : MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006. 96 p. (Série: Saberes e práticas da inclusão). Disponível em: < portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/const_escolasinclusivas.pdf>. Acessado em 10 de jan de 2018.
CANDAU, V. M. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. In: CANDAU, V. M. (Org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de janeiro: 7 Letras, 2009. p. 154-173.
CHECHIA, V. A; ANDRADE, A. dos Santos. Representação dos pais sobre a escola e o desempenho escolar dos filhos. [2002]. Disponível em: < http://stoa.usp.br/antandras/files/318/1470/represent_pais.pdf >. Acesso em 02 de jan de 2018.
DENARI, Fátima Elisabeth. SIGOLO, Silvia Regina R. L. Formação de professores em direção à educação inclusiva no Brasil: dilemas atuais. In: Educação inclusiva: em foco a formação de professores / Rosimar Bortolini Poker, Sandra Eli Sartoreto de Oliveira Martins, Claudia Regina Mosca Giroto, organizadores. – São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2016.
DUK, Cynthia. Educar na diversidade: material de formação docente/ organização: Cynthia Duk. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2005.
FÁVERO, Osmar et al. Tornar a educação inclusiva / organizado por Osmar Fávero, Windyz Ferreira, Timothy Ireland e Débora Barreiros. – Brasília : UNESCO, 2009.
FERREIRA J. R. Reformas educacionais pós LDB: a inclusão do aluno com necessidades especiais no contexto da municipalização. IN: SOUZA, D. B; FARIA, L. C. M. (Orgs) Descentralização, municipalização e financiamento da Educação no Brasil pós LDB. Rio de Janeiro, DP&A, p. 372-390, 2003.
FREITAS, Ione Campos. Função social da escola e formação do cidadão. Disponível em: . Acesso em 02 de jan de 2018.
GIL DA COSTA JÚNIOR, ANTONIO y de Mira Costa, Carlos Eduardo: "A educação para pessoas com deficiência no Brasil: histórico e conceitos" en Atlante. Cuadernos de Educación y Desarrollo, febrero 2014, Disponivel em:< http://atlante.eumed.net/educacao-pessoas-deficiencia/>. Acessado em 25 de dez de 2017.
GOMES, Nilma Lino. Educação e diversidade cultural: refletindo sobre as diferenças presentes na escola. 1999. Artigo publicado no site: www.mulheresnegras.org/nilma . Acesso em 02 de jan de 2018.
LIBÂNEO, José Carlos. Organização e Gestão da escola: teoria e prática. 5.ed. São Paulo: Alternativa, 2005.
LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João F. de; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2009.
MARTINS, Lígia Márcia. DUARTE, Newton. (orgs.); apoio técnico Ana Carolina Galvão Marsiglia. Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias / Lígia Márcia Martins, Newton Duarte (orgs.); apoio técnico Ana Carolina Galvão Marsiglia. – São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.
MARTINS, Lúcia de Araújo Ramos. Reflexões sobre a formação de professores com vistas à educação inclusiva. In: O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Theresinha Guimarães Miranda/ Teófilo Alves Galvão Filho, organizadores. Salvador. EDUFBA, 2012
MAZZOTA, & S. M. Z. L. Educação Especial no Brasil: História e Políticas Públicas. São Paulo, Editora Cortêz, 1996.
__________. Inclusão escolar e educação especial: considerações sobre a política educacional brasileira. Estilos da Clínica. Revista sobre a Infância com Problemas, 9, São Paulo: IPUSP, 2000, pp. 96-108.
__________. Marcos José Silveira. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2005.
MENDES, E.G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 33, set./dez., 2006 .
__________. Perspectivas para a construção da escola inclusiva no Brasil. In: PALHARES, M.S. e MARINS, S. Escola inclusiva. São Carlos/SP: EdUFScar, 2002, p. 61-85.
MIRANDA, Arlete Aparecida Bertoldo. HISTÓRIA, DEFICIÊNCIA E EDUCAÇÃO ESPECIAL. Disponível em: < Http://atividadeparaeducacaoespecial.com/wp-content/uploads/2014/09/INCLUS%C3%83O-DEFICENCIA-E-EDUCA%C3%87%C3%83O-ESPECIAL.pdf> Acessado em 10 de jan de 2018.
PEREIRA, A. G. S. S.; SANTANA, C. L.; SANTANA, C. L. A Educação Especial No Brasil: Acontecimentos Históricos. 3º Simpósio: EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO: Infoinclusão possibilidades de ensinar e aprender. Anais, 2012.
SDH/SNPDPD. História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil / compilado por Mário Cléber Martins Lanna Júnior. - Brasília: Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010.
SILVA, K. L.; SILVA, K. J. L.; VINENTE, S. A formação inicial de professores no curso de Pedagogia da UFAM: aspectos legais e desafios da inclusão do aluno com deficiência. Gestão Universitária. v. 1, n. 1, p. 1-8, 2015.
SILVA, M. O. E. Educação Inclusiva: um novo paradigma de escola. Revista Lusófona de Educação. Mato Grosso do Sul: CEIED, 2011.
SILVA, Vanilda Alves da.; REBOLO, Flavinês. A educação intercultural e os desafios para a escola e para o professor. INTERAÇÕES, Campo Grande, MS, v. 18, n. 1, p. 179-190, jan./mar. 2017.
SOUSA, S. Z. L.; PRIETO, R. G. A Educação Especial. In: ADRIÃO, Romualdo Portela de Oliveira e Thereza (Org.). Organização do ensino no Brasil: níveis e modalidades na Constituição Federal e na LDB. 2. ed.São Paulo: Xamã, 2002, p. 123-135.
THOMAZI, A. R. G.; ASINELLI, T. M. T. Prática docente: considerações sobre o planejamento das atividades pedagógicas. Educar. Curitiba: UFPR, 2009, p. 181-195.
VINENTE, S. O atendimento escolar do aluno com Paralisia Cerebral na rede municipal de ensino em Manaus: a práxis pedagógica no contexto da diversidade. In: MATOS, Maria Almerinda de Souza. Educação Especial, Políticas Públicas e Inclusão: desafios da prática e contribuições da pesquisa no NEPPD/FACED/UFAM. Manaus: Vitória, 2012. p. 185-209.
VINENTE, S.; SILVA, K. J. L.; SILVA; K. L. Formação de professores no contexto inclusivo: políticas públicas, discursos e práticas. Gestão Universitária. v. 1, n. 1, p. 1-10, 2015.
Publicado
2019-06-28
Como Citar
MENEZES, Dayane de Oliveira Rocha. EDUCAÇÃO INCLUSIVA: INCLUIR NO ÂMBITO ESCOLAR NÃO É O MESMO QUE ESTAR INSERIDO NO ÂMBITO EDUCACIONAL. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 24-38, jun. 2019. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4196>. Acesso em: 13 nov. 2019.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.