CONHECIMENTO DOS PROFESSORES SOBRE A APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA

  • Gabriele Cristina Albuquerque FMU Centro Universitário
  • Renata Calixto Oliveira FMU Centro Universitário

Resumo

A aprendizagem é um processo de construção de conhecimento, acontece quando o cérebro reage aos estímulos do ambiente, realiza as sinapses e/ou torna-as mais intensas. Conhecer o neurodesenvolvimento auxilia o educador a considerar a base biológica e os mecanismos neurofuncionais na utilização de teorias e práticas pedagógicas, obtendo um melhor potencial do seu aluno. O objetivo deste estudo foi caracterizar o conhecimento de educadores do ensino fundamental sobre o processo neurobiológico de aquisição de leitura e escrita e verificar a eficácia da orientação fonoaudiológica junto a eles. A coleta de dados foi realizada por meio da aplicação de um questionário em 31 professores do Ensino Fundamental I, das cidades de Ferraz de Vasconcelos e Mauá, com o objetivo de extrair os conhecimentos prévios dos professores sobre o assunto. Na semana seguinte, foi entregue um folheto explicativo a respeito do tema e, reaplicado o mesmo questionário aos professores que receberam o folheto, verificando-se assim o efeito da orientação fonoaudiológica na situação pesquisada. Trata-se de um estudo experimental que foi submetido ao Comitê de Ética em pesquisa e todos os sujeitos assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Foram observadas diferenças nas respostas entre os questionários um e dois, apresentando respostas mais assertivas no segundo questionário, após a intervenção fonoaudiológica. Concluiu-se que os professores têm pouco conhecimento a respeito da aquisição da linguagem escrita e apresentam dúvidas quanto a diferença entre transtornos e dificuldade de aprendizagem. Constatou-se a efetividade da orientação fonoaudiológica para a compreensão dos professores pesquisados sobre os problemas de aprendizagem.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Fonoaudióloga pela Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). E-mail: gabriele_silva@hotmail.com.br

##submission.authorWithAffiliation##

Fonoaudióloga pela Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). E-mail: recalixto.musica@gmail.com

Referências

CAMPOS, A. L. Primeira infância: um olhar desde a neuroeducação. OEA-Uruguai, p.8, 2010. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2016.
CAMPOS, F. R. et al. Alterações da linguagem oral no nível fonológico/fonético em crianças de 4 a 6 anos residentes em Belo Horizonte. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 4, p. 1151-1160, 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2016.
CARVALHO, F. B; CRENITTE, P. A. P.; CIASCA, S. M. Distúrbios de aprendizagem na visão do professor. Rev. psicopedagogia, v. 24, n. 75, p. 229-239, 2007. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2016.
CARVALHO, F. A. H. Neurociências e educação: uma articulação necessária na formação docente. Trab. educ. saúde (Online), Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, p. 537-550, 2011. Disponível em: .Acesso em: 19 out. 2016.
COMITÊ CIENTÍFICO DO NÚCLEO CIÊNCIA PELA INFÂNCIA. Estudo nº 1: O Impacto do Desenvolvimento na Primeira Infância sobre a Aprendizagem. 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2016.
COSENZA, R. M.; GUERRA, L. B. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre. Artmed, 2011.
ESPANHA, C. TDAH – transtorno do déficit de atenção/hiperatividade: o que é? Como lidar? Rev. Sinpro-Rio, p. 35-42, 2010. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.
FARIAS, P. A. M.; MARTIN, A. L. A. R.; CRISTO, C. S. Aprendizagem Ativa na Educação em Saúde: Percurso Histórico e Aplicações. Rev. Brasileira de educação médica, Rio de Janeiro, v. 39, n. 1, p. 143-150, 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2016.
FRANÇA, P. L. A importância da neurociência na aprendizagem escolar. Monografia apresentada à Faculdade Cândido Mendes. Rio de Janeiro, 2011. Acesso em: . Acesso em: 30 abr. 2016.
GOULART, B. N. G; CHIARI, B. M. Comunicação humana e saúde da criança: reflexão sobre promoção da saúde na infância e prevenção de distúrbios fonoaudiológicos. Rev. CEFAC, v. 14, n. 4, p. 691-696, 2012. Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2016.
LIMA, S. E. Escrita para todos: a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagem. Caderno do CEPAOS 1, p. 3-11, 2013. Disponível em: http://elvirasouzalima.blogspot.com.br/2013/01/elvira-souza-lima-escrita-para-todos.html>. Acesso em: 06 abr. 2016.
MOUSINHO, R. Problemas na leitura e na escrita e dislexia. Rev. Sinpro-Rio, p. 9-16, maio, 2010. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.
NEVES, P. C. A.; BATIGÁLIA, F. Diferenciação diagnóstica entre distúrbio e dificuldade de aprendizagem em crianças de 7 a 9 anos: revisão de literatura. Rev. Arquivos de Ciências da Saúde,v. 18, n. 2,p. 77-80,2011. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2016.
OLIVEIRA, G. G. Neurociências e os processos educativos: um saber necessário na formação de professores. Educação Unisinos, v.18, n. 1, p. 13-24, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2016.
OLIVEIRA, J. P. et al. Concepções de professores sobre a temática das chamadas dificuldades de aprendizagem. Rev. bras. educ. espec., Marília, v. 18, n. 1, p. 93-112, 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2017.
OLIVEIRA, J. P.; NATAL, R. M. P. A linguagem escrita na perspectiva de educadores: subsídios para propostas de assessoria fonoaudiológica escolar. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 14, n. 6, p. 1036-1046, 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2017.
ROCHA, M. A. M. et al. Dislexia: atitudes de inclusão. Rev. Psicopedagogia, p. 242-53, 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2016.
SANTOS, F. H. et al. Recomendações para professores sobre o “Transtorno da matemática”. Rev. Sinpro-Rio, p. 19-30, 2010. Disponível em: . Acesso em:25 mar. 2016.
STEFANINI, M. C. B.; CRUZ, S. A. B. Dificuldades de aprendizagem e suas causas: o olhar do professor de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Rev. Educação, v. 29, n. 58, p. 85-105, 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.
SUEHIRO, A. C. B.; MAGALHAES, M. M. S. Relação entre medidas de Avaliação da Linguagem Escrita em estudantes do Ensino Fundamental. Psico-USF, v. 19, n. 3, p. 489-498, 2014.Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2016.
Publicado
2019-01-14
Como Citar
ALBUQUERQUE, Gabriele Cristina; OLIVEIRA, Renata Calixto. CONHECIMENTO DOS PROFESSORES SOBRE A APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 1, n. 2, p. 214-228, jan. 2019. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4195>. Acesso em: 21 mar. 2019.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.