O SERVIÇO DE ESTIMULAÇÃO PRECOCE NO BRASIL APÓS A POLÍTICA DE INCLUSÃO

  • Simone Pereira Monteiro INSTITUTO FEDERAL FLUMINENSE/INSTITUTO DE BIOLOGIA

Resumo

A Estimulação Precoce é um serviço que visa potencializar o desenvolvimento de crianças nos três primeiros anos de vida que nasceram com alguma deficiência. Anterior à Política de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (2008), este serviço era oferecido principalmente em espaços educacionais, respaldado pelas Diretrizes Educacionais de Estimulação Precoce (1995). Este artigo tem a finalidade de analisar as produções acadêmicas na área da  Estimulação Precoce  em nosso país, dez anos após a Política de Inclusão implantada em 2008, fazendo um comparativo de produções antes e depois da implementação da referida Política.  A metodologia utilizada foi a revisão sistemática da literatura sobre as produções acadêmicas na área de Estimulação Precoce nos últimos vinte anos. Em 2018, realizou-se uma busca eletrônica nas seguintes bases de dados: SciElo, Google Acadêmico e Portal CAPES, fazendo um levantamento das publicações de 1998 a 2018. Concluiu-se que houve um aumento significativo de produções sobre esta temática nos últimos dez anos em comparação à década anterior, o que significa um ganho para esta área de estudo e para este  público alvo, uma vez que este programa deve ser valorizado e ampliado, na faixa etária que é considerada a mais importante para o seu desenvolvimento.


 


Palavras-chave: estimulação precoce. educacional. política de inclusão.

Referências

BRASIL, Estimulação Precoce. Ministério da Educação e Cultura- CENESP, 1975.

_______ .Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes educacionais sobre Estimulação Precoce: o portador de necessidades educativas especiais / Secretaria de Educação Especial - Brasília: MEC, SEESP,1995. 48 p. (Série Diretrizes; 3).
________. Diretrizes de Estimulação Precoce: Crianças de Zero A 3 Anos com Atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor decorrente de Microcefalia / Ministério Da Saúde, Secretaria De Atenção À Saúde. – Brasília: Ministério Da Saúde, 2016. 123P.
_______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Protocolo de atenção à saúde e resposta à ocorrência de microcefalia relacionada à infecção pelo vírus Zika Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 49p.. : il. Modo de acesso: www.saude.gov.br/svs ISBN 1. Vírus Zika. 2. Plano. 3. Atenção à Saúde. I. Título. http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2015/dezembro/14/PROTOCOLO-SAS-MICROCEFALIAZIKA-vers--o-1-de-14-12-15.pdf. Acesso em 07 Nov. 2016.
_________.Nota Técnica nº 2, de 04 de agosto de 2015. Orientações para Organização e Oferta do Atendimento Educacional Especializado na Educação Infantil. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=18047-ntc-02-orientacoes-paraorganizacao-oferta-do-aee-na-educacao-infantil&Itemid=30192. Acesso em 20 Ago. 2017
_________.Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia. Brasília: Ministério Da Saúde, 2015. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/campanhas/dengue2015/Broadside_Microcefalia_20x28_V2.pdf. Acesso em 23 Ago. 2017.
__________. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (2008

__________. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. Volume 1.

Decio et al Microcephaly and other Zika virus related events: the impact on children, families and health teams Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 21, n. 10, p. 3297-3302, Oct. 2016 . Available from http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016001003297&lng=en&nrm=iso. Access on 06 Nov. 2016
Publicado
2018-08-14
Como Citar
MONTEIRO, Simone Pereira. O SERVIÇO DE ESTIMULAÇÃO PRECOCE NO BRASIL APÓS A POLÍTICA DE INCLUSÃO. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 90-100, ago. 2018. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4142>. Acesso em: 19 out. 2018.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.