O O ATENDIMENTO AOS ALUNOS COM ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: AS ESCOLAS PAULISTANAS E O INSTITUTO LABTALENTO

  • Camila de Almeida Sture
  • Ana Paula Pacheco Moraes Maturana UNESP

Resumo

Considerando a necessidade de investigação e implementação de práticas educativas efetivas para alunos com Altas Habilidades/Superdotação, a presente pesquisa tem como objetivos verificar a concepção e o conhecimento de professores sobre Altas Habilidades/Superdotação e analisar um modelo implantado de trabalho com as Altas Habilidades no instituto italiano LabTalento. Esse trabalho está dividido em dois estudos: um com professores da rede municipal de ensino de São Paulo, que responderam a um questionário e o outro através de entrevista com a diretora do instituto LabTalento, em Pavia, Itália. O primeiro estudo elucidou a necessidade de formação docente nessa área, a fim de evidenciar práticas pedagógicas que favoreçam o desenvolvimento do potencial desses estudantes. O estudo sobre o LabTalento elucidou pontos importantes sobre o funcionamento do instituto, fornecendo elementos que podem contribuir para a construção de práticas inclusivas de atendimento aos estudantes com Altas Habilidades/Superdotação. Elevar o conhecimento da população em geral sobre esse tema, aumentar o número de avaliações e atendimento especializado para os estudantes com Altas Habilidades/Superdotação, propor práticas educativas inclusivas e apoiar o professor nesse percurso são tarefas que devem ser assumidas pelas redes de ensino em parceria com Universidades e com apoio e engajamento de toda a sociedade.


 

Referências

ALENCAR, E. M. L. S. Características sócio-emocionais do superdotado: questões atuais. In: Psicologia em Estudo, Maringá, v. 12, n. 2, p. 371-378, maio/ago. 2007

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação: Lei Nº 9.394/96, de 24 dez. 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

______ . Resolução N.º 02/2001. Instrui as Diretrizes Nacionais da Educação Especial para a Educação Básica. Brasília: Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica, 2001.

______. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

______ . Plano Nacional de Educação: Lei Nº 13.005/14, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, 2014.

______ . Ministério da Educação e Cultura. SECADI/ DPEE. Norma Técnica Nº 40/2015. Brasília, 2015.

______ . Lei Nº. 13.234/2015, de 29 dez. 2015. Altera a Lei Nº. 9394/96, para dispor sobre a identificação, o cadastramento e o atendimento, na educação básica e na educação superior, de alunos com altas habilidades ou superdotação. Brasília, 2015.

GUENTHER, Z. C. Desenvolver capacidade e talentos: um conceito de inclusão. Petrópolis: Vozes, 2000.

GUENTHER, Z. C.; FREEMAN, J. Educando os mais capazes: idéias e ações comprovadas. São Paulo: EPU, 2000.

INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica 2014. Brasília: INEP/Ministério da Educação, 2014. Disponível em: Acesso em: 25 fev. 2017.

ISTAT (Istituto Nazionale di Statistica). L’integrazione degli alunni con disabilità nelle scuole primarie e secondarie di I grado, statali e non statali. Anni scolastici 2008/2009 e 2009/2010. Roma: ISTAT, 2011. Disponível em: Acesso em: 23 fev. 2017.

ITALIA. Legge Nº. 517/1977, di 4 ag. 1977. Norme sulla valutazione degli alunni e sull'abolizione degli esami di riparazione nonché altre norme di modifica dell'ordinamento scolastico. Roma: Gazzetta Ufficiale, 18 ag. 1977, p. 224. Disponível em: Acesso em: 20 fev. 2017.

MEIRELLES, M. C. B.; BAPTISTA, Claudio R. Os processos de inclusão escolar na Itália e a educação infantil no contexto de Bolonha. Reunião Científica Regional da ANPED.

PÉREZ, S. G. P. B. Gasparzinho vai à escola: um estudo sobre as características do aluno com altas habilidades produtivo-criativo. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

______ . Mitos e Crenças sobre as Pessoas com Altas Habilidades: alguns aspectos que dificultam o seu atendimento. Cadernos de Educação Especial. Santa Maria, n. 22, p. 45-59, 2003. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

RENZULLI, J. S. O que é esta coisa chamada superdotação e como a desenvolvemos? Retrospectiva de vinte e cinco anos. Revista Educação, Porto Alegre, ano 27 n. 1, p. 75-134, jan./abr. 2004. Disponível em: Acesso em 26 mar. 2017.

______, J. S. Reexamining the Role of Gifted Education and Talent Development for the 21st Century: a Four-Part Theoretical Approach. Gifted Child Quarterly. 56 (3) 150-159, 2012. National Association for Gifted Children. Disponível em: < http://gifted.uconn.edu/wp-content/uploads/sites/961/2015/01/Reexamining_Role_of_Gifted_Ed_and_Talent_Dev.pdf> Acesso em: 19 abr. 2017.

SANTOS, R. Resultados da Metodologia CEDET: um estudo com estudantes egressos. 2016. 224 f. Tese (Doutorado em Educação Escolar) - Faculdade de Ciências e Letras. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2016. Disponível em: < https://repositorio.unesp.br/handle/11449/144289?show=full> Acesso em 03 abr. 2017.

SÃO PAULO. Lei Municipal Nº. 15.919/2013, de 16 de dez. 2013. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotação no âmbito do município de São Paulo e dá outras providências. São Paulo, 2013.

UNESCO. Declaração de Salamanca e Enquadramento da Ação na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, Espanha, 1994. Disponível em: Acesso em: 10 fev. 2017.

WINNER, E. Crianças superdotadas: mitos e realidades. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

ZANETTI, M. A. Per uma personalizzazione dell’insegnamento a favore degli studenti ad alto potenziale. In: Psicologia dell’educazione, VI, 2, pp. 153-154. LabTalento, Pavia, 2012.

______ . Uno sguardo sui disturbi del comportamento: il caso dei bambini ad alto potenziale, IV Convegno nazionale Disturbi dell’apprendimento e del comportamento nella scuola digitale. Lumsa, Roma, 26 e 27 set. 2014.
Publicado
2018-08-15
Como Citar
STURE, Camila de Almeida; MATURANA, Ana Paula Pacheco Moraes. O O ATENDIMENTO AOS ALUNOS COM ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: AS ESCOLAS PAULISTANAS E O INSTITUTO LABTALENTO. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 27-42, ago. 2018. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4134>. Acesso em: 19 out. 2018.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.