DISCALCULIA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE OS CONHECIMENTOS DOS PROFESSORES

  • Edneia Felix de Matos Fundepe

Resumo

Na atualidade a escola enfrenta grandes desafios no que diz respeito às dificuldades de aprendizagem. O número de alunos que apresentam algum tipo de dificuldade é cada vez maior, sendo as dificuldades relacionadas à aprendizagem dos conceitos matemáticos um dos fatores preponderantes para o fracasso escolar. Estudantes que não aprendem matemática podem possuir discalculia, uma dificuldade específica em matemática que se refere a uma desordem estrutural na área relacionada às habilidades matemáticas. Nessa perspectiva, esta pesquisa divulga os resultados de um estudo qualitativo e exploratório, que visava investigar a percepção dos professores das escolas de ensino fundamental I de uma cidade do interior do estado de São Paulo, região do Centro-Oeste Paulista. O foco foi descrever as características da disclaculia e suas formas de manifestação entre as crianças, tendo em vista as possíveis estratégias de ensino baseadas no lúdico para trabalhar com alunos Discalcúlicos em sala de aula. O desejo era contribuir para a expansão das discussões sobre a discalculia, porque há poucos estudos científicos sobre o tema.

Referências

ARGOLLO, N. Avaliação da discalculia do desenvolvimento: uma questão sobre o processamento numérico e o cálculo. In: Transtorno de aprendizagem: da avaliação à reabilitação. Sennyey, A. L., Capovilla, F. C., Montiel, J. M. (Orgs.). São Paulo: Artes Médicas, 2008.

BASTOS, J. A. O cérebro e a matemática. São Paulo: Edição do Autor, 2008.
_______. Discalculia: transtorno específico da habilidade em matemática. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BERNARDI, J. Discalculia: O que é? Como intervir? Jundiaí, Paco Editora, 2014.

________. Alunos com Discalculia: o resgate da auto-estima e da auto-imagem através do lúdico. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica, Porto Alegre, 2006.


CAMPOS, A. M. A. de. Discalculia: superando as dificuldades de aprender Matemática. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2015.

CECATO, Â. Intervenção psicopedagógica. In: BASTOS, J.A. O cérebro e a matemática. São Paulo: Edição do Autor, 2008.

CHAMBERS, P.; TIMLIN, R. Ensinando Matemática para adolescentes. 2 ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

DMS IV – Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Porto Alegre: Artmed, 2002.

DROUET, R. C. R. Distúrbios da aprendizagem. São Paulo: Ática, 1990.


FONSECA, V. Introdução às dificuldades de aprendizagem. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

GARCIA, J. N. Manual de dificuldades de aprendizagem: linguagem, leitura, escrita e matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

KOSC, L. Developmental dyscalculia. Journal of Learning Disabilities, v. 7, p. 164-177, 1974.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia cientifica. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LARA, I. C. M. Ensino inadequado de matemática. Revista Ciências e Letras, n. 35, p.137-152, 2004.

MANGA, D.; RAMOS, F. Neuropsicologia de la edad escolar. Madrid: Visor, 1991.

ORTIGÃO, M. I. R. Avaliação e Políticas Públicas: possibilidades e desafios para a Educação Matemática. Bolema, ano 21, n. 29, p. 71 a 98, 2008.

PAIN, S. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

SILVA, W. C. Discalculia: Uma Abordagem à Luz da Educação Matemática. Relatório Final (Projeto de Iniciação Científica - Universidade de Guarulhos, UNG) Guarulhos/SP, 2008.

SHALEV, R.S. Developmental Dyscalculia. Journal of Child Neurology. 19(10) 765-771, 2004

VIEIRA, C. F. ZAMPA, R. l. G. A Geometria na Matemática das Séries Iniciais do Ensino Fundamental. Revista Matemática da UFOP, Vol. I 2011.

VIEIRA, E. Transtornos na aprendizagem da matemática: número e discalculia. Revista Ciências e Letras, n. 35, p. 109-119, 2004.

WAJNSZTEJN, R.; CASTRO, V. T. Discalculia ou transtorno específico das habilidades matemáticas. In: VALLE, L. E. R.; ASSUMPÇÃO, F.; WAJNSZTEJN, R.; DINIZ, L. F. M. (Orgs.). Aprendizagem na atualidade: neuropsicologia e desenvolvimento na inclusão. São Paulo: Novo conceito, 2010.
Publicado
2018-08-14
Como Citar
DE MATOS, Edneia Felix. DISCALCULIA: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE OS CONHECIMENTOS DOS PROFESSORES. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 69-89, ago. 2018. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4133>. Acesso em: 19 out. 2018.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.