A INCLUSÃO DE ALUNO AUTISTA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO NA AMAZÔNIA OCIDENTAL

  • Marck de Souza Torres Uninorte Acre
  • Maria Lidiane Carvalho da Silva Faculdade Barão do Rio Branco (FAB)
  • Reruza Andina Pereira dos Santos Sousa Faculdade Barão do Rio Branco (FAB)

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo relatar a experiência de inclusão de um aluno com TEA, na escola de ensino fundamental, tendo como base o relato de experiência de duas professoras de uma escola municipal de Rio Branco. O sujeito da análise foi um aluno autista, do 5º ano do Ensino Fundamental I.  A discussão transcorreu a partir dos aspectos comportamentais em sala de aula regular e nos demais espaços da escola.  Foram realizados registros durante quatro anos, com visitas na casa do aluno, observações em passeios, conversas com os pais e familiares mais próximos. Durante esse período o aluno foi acompanhado por um profissional da educação especial, denominado Professor Mediador e uma professora do AEE para mediar todo processo inclusivo. Os resultados da investigação indicam que a escola regular tem avançado na direção da inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais, mas ainda deixa muito a desejar em alguns aspectos essenciais, como a formação/qualificação de professores, necessitando de investimento em material didático especializado, bem como no aperfeiçoamento do trabalho em equipe, que dê condições a todos, de compreender os processos de desenvolvimento do ensino aprendizagem desses alunos, para que se possa promover uma inclusão com responsabilidade. Conclui-se, que há possibilidades de um aluno TEA de conviver, socializar-se e desenvolver-se em um ambiente diversificado, desde que a escola seja capaz de promover as condições adequadas para receber esse aluno e oferecer-lhe um atendimento de qualidade.

Referências

Bosa, C. & Callias, M. (2000) Autismo: breve revisão de diferentes abordagens. Psicologia: Reflexão e Crítica, 13(1), 167- 177.
BRASIL. (1996). Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União.
Gauderer, E. C. (1987) Autismo – Década de 80. Uma atualização para os que atuam na área: do especialista aos pais. São Paulo. Ed. Almed, 2ª edição.
Mantoan, M. T. E. (1997). A Integração de pessoas com deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Editora Memno.
Sassaki, R. K. (2005). Atualizações semânticas na inclusão de pessoas: Deficiência Mental ou Intelectual? Doença ou Transtorno Mental?. Revista Nacional de Reabilitação, 9(43), 9-10.
STAINBACK, S. & STAINBACK, W. (1999). Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artmed.
UNESCO. (2003). Declaração de Salamanca. São Paulo: Biblioteca Virtual de Direitos Humanos/USP.
Publicado
2018-08-14
Como Citar
TORRES, Marck de Souza; DA SILVA, Maria Lidiane Carvalho; SOUSA, Reruza Andina Pereira dos Santos. A INCLUSÃO DE ALUNO AUTISTA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO NA AMAZÔNIA OCIDENTAL. Pesquisa e Prática em Educação Inclusiva, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 138-145, ago. 2018. ISSN 2595-1920. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/educacaoInclusiva/article/view/4122>. Acesso em: 15 dez. 2018.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.