ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INTEGRAL

  • Angela Maria Gonçalves de Oliveira

Resumo

Este trabalho se propõe a responder a seguinte questão de pesquisa: Qual a influência da organização do trabalho docente na Educação de Tempo Integral como direito à educação? Tem como objetivo investigar se a forma de organização do trabalho docente na Educação em Tempo Integral atende o direito à educação. Para elaboração deste, realizamos uma revisão bibliográfica tendo como foco de pesquisa conteúdos como: Direito à educação, trabalho docente e educação em tempo integral. O direito à educação encontra-se amparado Constitucionalmente no art. 205, donde também compreendemos como uma concepção de educação integral. A educação como direito ser contemplada nas politicas públicas, é aquela que se comprometa com a formação do individuo em todas as dimensões humanas. Para isso, faz-se necessário a articulação com outras políticas públicas bem como a priorização dos vários sujeitos que dela fazem parte como: docentes, discentes, gestores públicos, família e comunidade. O trabalhador docente, ao realizar seu o trabalho, também tem como fim a realização de um produto, porém, difere do trabalho da indústria. O docente tem como produto de seu trabalho a formação do educando em suas múltiplas dimensões. A discussão sobre a organização do trabalho docente para o direito à educação nos permite entender que, para a efetivação de uma educação como direito, faz-se necessário que o trabalho docente seja organizado de modo a atender os diferentes aspectos: condições de trabalho, formação inicial e continuada, relações interpessoais, vivência pedagógica e pessoal, além de outras dimensões que possam permitir ao docente (re)pensar sua prática pedagógica como forma da garantia de uma educação de qualidade.

Publicado
2018-01-31
Como Citar
OLIVEIRA, Angela Maria Gonçalves de. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INTEGRAL. Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 19-34, jan. 2018. ISSN 2527-0141. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/amazonida/article/view/3848>. Acesso em: 22 set. 2018. doi: https://doi.org/10.29280/rappge.v1i1.3848.