MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE HOMOFOBIA NA ESCOLA

  • Felipe da Costa Negrão Universidade do Estado do Amazonas
  • Erika da Silva Ramos

Resumo

São crescentes os números de assassinatos correspondentes a atos violentos contra pessoas que apresentam identidade de gênero ou orientação sexual diferente do padrão heteronormativo. Pontua-se que tais comportamentos agressivos e violentos ainda não são considerados criminosos, portanto, desde 2006 pesquisadores de várias áreas têm produzido conhecimento e possibilitado intervenções diretas acerca da homofobia e o respeito à diversidade sexual. Logo, o presente artigo é caracterizado como estado da arte ou estado do conhecimento, uma vez que visou mapear os estudos realizados sobre o tema em questão, com o interesse em organizar sistematicamente o que já foi produzido. Para isso, este classifica-se como estudo bibliométrico, em que se procederam buscas a partir da plataforma Oasisbr, utilizando-se do termo “homofobia na escola”, objetivando reunir dados significativos acerca dos objetos de estudo das dissertações e teses (nacionais e internacionais) nos últimos anos. Assim, foram selecionados 29 trabalhos que haviam sido apresentados e discutidos com base em reflexões teóricas devidamente fundamentadas. Os resultados apontam para a predominância de estudos em programas de pós-graduação da região Sudeste, tendo como ênfase das dissertações e teses os assuntos vinculados aos discursos discriminatórios e à diversidade sexual. O estudo também expõe a formação dos autores, sendo os psicólogos e pedagogos, os profissionais que mais produzem acerca desse tema. Logo, o presente estudo evocou os construtos histórico-científicos que fazem parte dessa trajetória de luta por conquista de espaços e direitos, rumo à liberdade, segurança pessoal e a vida.

Referências

Almeida, H. R. A. (2015). Homofobia na Escola: Considerações da Psicologia. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Psicologia, Universidade de Fortaleza, Fortaleza.


Amor Pan, J. R. (2003). Afetividade e sexualidade na pessoa portadora de deficiência mental. São Paulo: Loyola.

Ávila, M. B. (2003). Sexualidades e política na perspectiva feminista. In R. Parker & S. Corrêa (Orgs.), Sexualidade e política na América Latina. Rio de Janeiro: ABIA.

Braga, K. D. S. (2014). Homofobia na Escola: análise do livro de ocorrência escolar. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Educação, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.


Brasil. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MECSEF.


Caetano, M. R. V. (2011). Gênero e sexualidade: um encontro político com as epistemologias da vida e os movimentos curriculares. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói.


Chauí, M. (1991). Repressão sexual, essa nossa (des)conhecida. São Paulo: Brasiliense.

Costa, R. P. da. (1994). Os Onze Sexos: as múltiplas faces da sexualidade humana. São Paulo: Gente.

Eribon, D. (2008). Reflexões sobre a questão gay. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.
Ferreira, N. S. de A. (2002, agosto/dezembro). As pesquisas denominadas “Estado da Arte”. Educação & Sociedade, 79(1), 257-272.


Foucault, M. (1988). História da Sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal.


Junqueira, R. D. (2009). Escola e enfrentamento à homofobia: pelo reconhecimento da diversidade sexual como fator de melhoria da educação de tod@s. In: Ribeiro, P. R. C. & Quadrado, R. P. (Orgs.). Corpos, gêneros e sexualidades: questões possíveis para o currículo escolar. Rio Grande: FURG.


Junqueira, R. D. (2008). Homofobia nas escolas: Um problema de todos. In: Junqueira, R. D. (Org.). Diversidade sexual na educação: Problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO.


Lionço, T. & Diniz, D. (2009). Homofobia e educação: um desafio ao silêncio. Brasília: Editora UnB.


López, S. F. (2009). Homossexualidade e família: novas estruturas. Porto Alegre: Artmed.


Louro, G. L. (1997). Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes.


Louro, G, L (Org.). (1999). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica.


Mouffe, C. (2001). Globalização e Cidadania Democrática. Revista da Faculdade de Direito da UFPR, 36 (1).


O.M.S. (2001) Relatório Mundial da Saúde - Saúde Mental: Nova concepção, Nova Esperança. Lisboa: Direcção-Geral da Saúde.


Ray, N. (2006). An epidemic of homelessness. Washington: National Gay and Lesbian Task Force Institute, National Coalition for the Homeless.


Rios, R. R. (2009). Homofobia na perspectiva dos direitos humanos e no contexto dos estudos sobre preconceito e discriminação. In: Junqueira, R. D. (Org.). Diversidade sexual na educação: Problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO.


Silva, J. P., & Barreto, N. S. (2012, julho/dezembro). Violência escolar: problematizando a relação entre o bullying e a homofobia. Revista Fórum Identidades, julho/dezembro, Itabaiana, 6(12).


Silva, F. F. & Magalhães, J. C. (2008). Descolad@s, divertid@s, atrevid@s e diferentes: Discutindo representações de gênero. In: Ribeiro, P. R. C. & Quadrado, R. P. (Orgs). Corpos, gêneros e sexualidade: questões possíveis para o currículo escolar. Rio Grande: FURG.
Publicado
2017-09-20
Como Citar
NEGRÃO, Felipe da Costa; RAMOS, Erika da Silva. MAPEAMENTO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE HOMOFOBIA NA ESCOLA. Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S.l.], v. 1, n. 2, set. 2017. ISSN 2527-0141. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/amazonida/article/view/3694>. Acesso em: 22 abr. 2018.