A MULHER JAPONESA COMO SÍMBOLO EM "NAGASAKI", DE ANTONIO OLINTO

  • Vitor Gama Universidade de Brasilia

Resumo

Este artigo analisa no poema "Nagasaki" de Antonio Olinto, publicado em 1957, a representação da mulher como natureza e como alegoria do Japão. Trata-se de um poema de tom precautório, que aproxima a realidade japonesa à brasileira para refletir sobre um possível holocausto nuclear.

Referências

CARNEIRO, A.Introdução ao estudo da “Science-Fiction”.São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1968.
NEUMANN, Erich. A Grande Mãe. Tradução de Fernando Pedroza de Mattos e Maria Silvia Mourão Netto. 5ª ed. São Paulo: Cultrix, 2006.
OLINTO, A.Nagasaki.Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.
PULEO, A., H. Libertad, igualdad, sostenibilidad. Por un ecofeminismo ilustrado. Isegoría. Revista de Filosofía Moral y Política. N. 38, Enero-Junio, p. 39-59, 2008. Disponível em: http://tiny.cc/zf2b8y. Acesso: 14/06/2019.
Publicado
2019-09-01
Como Citar
GAMA, Vitor. A MULHER JAPONESA COMO SÍMBOLO EM "NAGASAKI", DE ANTONIO OLINTO. HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 4, n. 6, p. 130-140, set. 2019. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/5640>. Acesso em: 13 nov. 2019.