REMINISCENCIAS DE AQUISIÇÃO, BY AKEMI: ATITUDE AVALIATIVA DA LÍNGUA(GEM)

Resumo

Diferindo do postulado histórico-filosófico platônico, concebemos o vocábulo reminiscências sob um prisma cognitivo associado à conservação da memória por meio de lembranças e recordações. Essas carregam um sentido afetivo que influencia na atitude avaliativa de um agente social, em termos sistêmico-funcionais, inclusive quando se relacionada com a aquisição da língua(gem). Por meio da história de vida de Akemi, nossa participante pseudonímica, discutiremos teórica e sucintamente o seu processo de aquisição do Português em solo japonês e brasileiro alinhando-o à perspectiva de língua de herança. Analisaremos seu per(dis)curso a partir do subsistema de atitude do Sistema de Avaliatividade da Linguística Sistêmico-Funcional. Deste modo, aferiremos como essa experiência a influenciou no processo de aquisição da língua portuguesa. Para tanto, vamos nos valer dos pressupostos epistêmico-metodológicos de Silva (2014 a/b), Grolla e Silva (2014), Paiva (2011), Augusto (2011), Boruchowski (s/d), Bastos e Melo-Pfeifer (2017), Halliday (2014), Martin e White (2005) e Guedes (2017).

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Docente do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS). Pesquisador Associado do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura (CLAEC). Doutorando em Linguística Aplicada (UNICAMP), Mestre em Linguística (UnB), Especialista no Ensino de Línguas para Fins Específicos (UFMT) e Bacharel em Letras (UCCB). Líder do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Estudos de Linguagem (GIEL/CNPq) e pesquisador do Núcleo de Estudos em Linguagens e Políticas Públicas em Educação (NELPPE/CNPq). Interesses de pesquisa: Estudos Críticos de Discurso, Estudos Migratórios, Estudos de Identidade/Representação em Contextos Plurilíngues, Linguística Aplicada Crítica, Políticas Linguísticas, Internacionalização, Superdiversidade, Interculturalidade, Interdisciplinaridade e Tecnologias da Informação & Comunicação e Educação. Membro da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN), da American Organization of Teachers of Portuguese (AOTP), da Associação Brasileira de Linguística Aplicada (ALAB), dos Grupos de Pesquisa de Linguagem do Centro-oeste (GELCO), Lusofonia e Ensino de Português, da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) e do Distance Learning and Digital Technologies (DLDT). Projeto de pesquisa e de extensão atuais: Programa(s) de Internacionalização do Ensino Superior: Acolhimento a Imigrantes, Multilinguismo e (Inter)culturalidade Crítica. Possui larga experiência em consultoria, assessoria e ensino de línguas portuguesa, inglesa, espanhola e Português para falantes de outras línguas e suas respectivas literaturas atuando tanto em âmbito público e privado em escolas de educação básica, em institutos de idiomas e em diversas empresas e universidades. Examinador das provas orais em Língua Inglesa: FCE, CAE, CEELT, BEC e CPE da Universidade de Cambridge e das provas orais em Língua Espanhola: DELE A1-A2 e B1-B2 da Universidade de Salamanca.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasília (PósLIT/UnB), Mestre pela mesma instituição no Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (PGLA/UnB) (2014), Especialista em Metodologia no Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira pelo Centro Universitário Internacional - UNINTER (2013), Licenciado em Letras - Língua Francesa e respectiva literatura pela Universidade de Brasília (2006) e em Pedagogia pela Faculdade de Ciências de Wenceslau Braz (FACIBRA) (2015). Supervisor Acadêmico na área de língua francesa do Programa Permanente de Extensão UnB Idiomas (2009-2014). Pesquisador dos Grupos CNPq FORPROLL e GIEL, membro da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN), da Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB) e da Associação de Professores de Francês do Distrito Federal (APFDF). Professor de Educação Básica na Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF (2014), ministrando aulas de francês língua estrangeira (FLE) no Centro Interescolar de Línguas de Sobradinho - CILSob/DF (2014-2015). Diretor fundador do Centro Interescolar de Línguas 01 do Paranoá (CIL Paranoá) de 2016 a 2017, pela mesma Secretaria. Tendo a Didática de Línguas, os Estudos sobre Oralidade em Língua Estrangeira, Teorias Curriculares, Ensino e aprendizagem de LE/L2, Práticas de Leitura, os Estudos sobre Gêneros Discursivos/Textuais, os (Multi)Letramentos e Transculturalidade em ambientes de ensino-aprendizagem, bem como a Formação de Professores como norteadoras das atividades e interesses de pesquisa e ensino em perspectiva transdisciplinar com a Linguística, a Linguística Aplicada (Crítica), a Literatura, a Educação e ciências afins.

##submission.authorWithAffiliation##

Sônia Margarida Ribeiro Guedes é graduada em Letras-Português e respectiva literatura pela Universidade de Brasília (2003) e especialista em Códigos e Linguagens com ênfase no ensino médio(2009). Possui mestrado e doutorado em Linguística também pela Universidade de Brasília (2010-2017). Atua como professora de língua portuguesa e literatura no ensino básico junto à Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Possui experiência em docência superior na modalidade presencial e à distância, nas áreas de língua portuguesa e linguística. Presta Consultoria pedagógica em língua portuguesa junto ao Cespe/Cebraspe/UnB. Atua como revisora de textos de trabalhos acadêmicos em todas as áreas do conhecimento. Faz parte do grupo de pesquisa GECAL/UnB/CNPq, na qual compõe o Comitê Gestor. 

Referências

ALMEIDA, F. S. D. P. A avaliação na linguagem: os elementos de atitude no discurso do professor — um exercício em Análise do Discurso Sistêmico-Funcional. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2010.
AUGUSTO, R. C. O processo de desenvolvimento da competência linguística em Inglês na perspectiva da complexidade. In PAIVA, V. L. M. O.; NASCIMENTO, M. (Orgs.). Sistemas adaptativos complexos: língua(gem) e aprendizagem. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.
BASTOS, M.; MELO-PFEIFER, S. O Português em Moçambique e na Alemanha: da diversidade de estatutos à diversidade de abordagens didáticas. In: MONTEIRO, A. C.; SIOPA, C.; MARQUES, J. A.; BASTOS, M. (Ed.). Ensino da língua portuguesa em contextos multilíngues e multiculturais. E-Book. Porto: Porto Editora, 2017, pp. 173- 194.
BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Orgs.) Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Trad. Pedrinho A. Guareschi. 11a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.
BORUCHOWSKI, I. D. O que é uma língua de herança? In ____. (Org.). Manter e desenvolver o português como língua de herança: sugestões para quem mora fora do Brasil. Miami; Must University, s/d.
____. Diretrizes para um curso de Português como Língua de Herança (PLH). In ____. (Org.). Manter e desenvolver o português como língua de herança: sugestões para quem mora fora do Brasil. Miami; Must University, s/d.
____. Construir uma identidade cultural na língua de herança. In ____. (Org.). Manter e desenvolver o português como língua de herança: sugestões para quem mora fora do Brasil. Miami; Must University, s/d.
DREIFUSS, R. A. A época das perplexidades: mundialização, globalização e planetarização - novos desafios. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.
EGGINS, S. An introduction to systemic functional linguistics. London/New York: Continuum, 1994.
FIGUEIREDO, E. L. Sobre René Armand Dreifuss. Dados: Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, vol. 46, nº 1, 2003, pp. 195-197.
GROLLA, E.; SILVA, M. C. F. Aquisição da linguagem. São Paulo: Contexto, 2014.
GUEDES, S. M. R. O estilo avaliativo de textos instanciados do gênero artigo científico. Tese (Doutorado em Linguística). Brasília, DF: Universidade de Brasília, 2017.
HALLIDAY, M. A. K. Halliday’s introduction to functional grammar. 4 ed. Revised by Christian M. I. M. Matthiessen. New York: Routledge, 2014.
HALL, S.; GAY, P. Questions of cultural identity. London: Sage, 1996.
JULIÃO DA SILVA, S. D. Descendentes de falantes de Português nas classes de PFOL: um público que merece atenção específica. In SÁ, R. L. Português para falantes de outras línguas: interculturalidade, inclusão social e políticas linguísticas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016.
LYONS, J. Língua(gem) e linguística: uma introdução. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1987.
MARTIN, J. R. English text: system and structure. Amsterdam: J. B. Publishing Co, 1992.
____. ; WHITE, P. R. R. The language of evaluation: appraisal in English. New York: Palgrave Macmillan, 2005.
MOITA LOPES, L. P. Pesquisa interpretativista em Linguística Aplicada: a linguagem como condição e solução. D.E.L.T.A., 10 (2), 1994, pp. 329-338.
PAIVA, V. L. M. O. Caos, complexidade e aquisição de segunda língua. In ____; NASCIMENTO, M. (Orgs.). Sistemas adaptativos complexos: língua(gem) e aprendizagem. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.
PRAXEDES FILHO, P. H. L. A audiodescrição de pinturas é neutra? Um estudo descritivo via teoria da avaliatividade. Relatório (Pós-doc). 367f. Belo Horizonte: UFMG, 2013.
ROSA, M. V. F. P. C.; ARNOLDI, M. A. G. C. A entrevista na pesquisa qualitativa: mecanismos para validação dos resultados. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
SÁ, R. L. Interactive discourse in the teaching of English for specific purposes. 80 f. Monografia (Especialização). Mato Grosso: Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, 2003.
____. Imigração hispano-americana em São Paulo, (des)construção identitária e inclusão dos (in)visíveis: um olhar da Linguística Sistêmico-Funcional. In: III Workshop Systemic Across Languages (SAL). Brasília: Universidade de Brasília, UnB, 2014.
____. Imigração boliviana em mares paulistanos dantes navegados: inclusão dos (in)visíveis, (des)construção identitária. Saarbrücken, Alemanha: Novas Edições Acadêmicas, 2016.
____. Português para falantes de outras línguas: língua e cultura em tempos de perplexidade. Lisboa, Portugal: Lidel Edições, 2018, no prelo.
SANTOS, I. M. M.; SANTOS, R. S. A etapa de análise no método história de vida – uma experiência de pesquisadores de enfermagem. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 17 n. 4, out-dez, 2008, pp. 714-719.
SILVA, E. D. A-TUA-AÇÃO: o texto teatral, o corpo e a voz como mediadores na apropriação da oralidade no ensino-aprendizagem de língua estrangeira (francês). 106f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). PPGLA/LET/UnB. Brasília, 2014a.
____. Eu e você, você e eu na língua: uma abordagem interacional para o ensino de língua estrangeira. In: Revista de Letras da Universidade Católica de Brasília, Taguatinga, v. 8, n. 1, 2014b.
____.; LÁSCAR-ALÁRCON, Y. G. Eu ensino, tu ensinas, ele ensina e nós aprendemos: diferenciação do ensino de português como língua materna (L1), segunda língua (L2) e língua estrangeira (LE). In: Revista Anhanguera, Goiânia. v. 16, n. 1, jan/dez., 2016, pp. 43-51.
____. E agora, João? História de vida realçando o construto da autonomia na aprendizagem de língua estrangeira (LE). In: Revista de Letras da Universidade Católica de Brasília, Taguatinga, v. 10, n. 2, ano X, dez., 2017.
SPIVAK. G. C. Subaltern studies: deconstructing historiography. Essays in Cultural Politics. New York/London: Routledge, 1988. pp. 197-221.
____. Can the subaltern speak? Reflections on the history of an idea. New York: Columbia University Press, 2010.
WEEDWOOD, B. História concisa da linguística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2002.
Publicado
2018-07-15
Como Citar
SÁ, Rubens Lacerda de; SILVA, Eduardo Dias da; GUEDES, Sônia Margarida Ribeiro. REMINISCENCIAS DE AQUISIÇÃO, BY AKEMI: ATITUDE AVALIATIVA DA LÍNGUA(GEM). HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 241-257, jul. 2018. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/4651>. Acesso em: 16 out. 2018.