A PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA AULA DE PORTUGUÊS: CONTRIBUIÇÕES DO LETRAMENTO CRÍTICO

  • Wenderson Roberto Gomes Lambert UFLA
  • Gasperim Ramalho de Souza UFLA e CEFET/MG

Resumo

O presente artigo visa apresentar o Letramento Crítico (LC) como uma proposta para promoção da educação ambiental na aula de língua portuguesa. A partir dessa relação, compreendemos que o ato de ler não pode ser dissociado do questionamento, posicionamento diante das questões atuais como o meio ambiente, o que possibilita uma maior compreensão do mundo e exercício de cidadania pela leitura e escrita. Este trabalho foi realizado durante as aulas de língua portuguesa ministrada para crianças entre 10 e 11 anos, da 5ª série do ensino fundamental I de escolas da rede municipal de ensino na cidade de Pouso Alegre, Minas Gerais. Os resultados mostraram uma maior apropriação do processo de leitura e escrita por parte dos alunos que se sentiram motivados a ler diferentes tipos de textos e expressar seu posicionamento por meio da escrita.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade do Vale do Sapucaí (1998) e graduação em LICENCIATURA em LETRAS - PORTUGUÊS / INGLÊS - UNISEB COC INTERATIVO (2012). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Colônia, . Técnico em Meio Ambiente pelo Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Sul de Minas - Campus Muzambinho (2012). Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal de Lavras - MG (UFLA) concluído no ano de 2016.

##submission.authorWithAffiliation##

Gasperim Ramalho de Souza é doutorando em Estudos da Linguagem pelo Centro Federal e Tecnológico de Minas Gerais ( CEFET-MG), graduado em Letras, habilitação em Inglês pela Faculdade de Letras (FALE) da UFMG, Especialista em Ensino de Língua Inglesa e Mestre em Estudos Linguísticos pelo POSLIN (FALE/UFMG). No campo profissional, atuou como docente da disciplina Inglês para Fins Acadêmicos (IFA) na UFMG (FALE/DRI). Foi um dos fundadores da Associação voltada também para o ensino de línguas denominada ILE. Além disso, é professor efetivo da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEEMG) e já atua no ensino de inglês há mais de 10 anos tendo experiência em diversos contextos de ensino, a saber; escolas privadas, pública, educação de jovens e adultos (EJA), projetos de aceleração (PAV), cursos livres de idiomas, projetos de extensão e educação continuada na UFMG. Atualmente, é Professor efetivo do Departamento de Estudos da Linguagem (DEL) da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Seus principais interesses de pesquisa são: globalização, letramento crítico, inclusão, ensino de inglês na na escola pública, formação de professores para a escola pública ine produção de materiais didáticos na perspectiva crítica.

Referências

ARAÚJO, M. S. Os caminhos da prática alfabetizadora: Uma contribuição ao debate. Rio de Janeiro: Presença Pedagógica, v. 10, m 57, p. 20-22-24-26, mai-jun. 2004.
BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa Qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 4. ed. Ed. Vozes, 2002
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares: Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. 3º edição. Brasília, 1997.
____. Pró-Letramento. Programa Formação Continuada de Professores dos anos/séries iniciais do ensino fundamental. Ed. Ver. E ampl. Incluindo SAEB/Prova Brasil Matriz de referência / Secretaria de Educação Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.
____. Parâmetros Curriculares Nacionais. Língua Portuguesa. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. 3 Ed. Brasília: 2001.
____. Referencial Curricular nacional para a Educação Infantil. Conhecimento de Mundo. v.3. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.
BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1986.
BOFF, L. Ecologia: Grito da Terra, Grito dos Pobres. São Paulo: Ática, 1995.
CAVAZOTTI, M. A. Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Alfabetização. 2º edição. Curitiba, PR. Editora Iesde Brasil S/A, 2005.
CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2006.
CERVETTI, G.; PARDALES, M. J.; DAMICO, J. S. A tale of differences: comparing the traditions, perspectives and educational goals of critical reading and critical literacy. Reading Online, v. 4, n. 9, 2001. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2016.
DIAS, G. F. Educação ambiental: princípios e práticas. 9.ed. São Paulo: Gaia, 2004.
FERREIRA, L. J. C. Educação ambiental: abordagens no ensino fundamental. Monografia. (Graduação em Ciências Biológicas). Faculdade Patos de Minas, 2011.
FREIRE, M. A Paixão de Conhecer o Mundo. 6 Ed. São Paulo. Paz e Terra, 1988.
FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17 Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1987. 184 p.
FREEBODY, P.; LUKE, A. Literacies programs: Debates and demands in cultural context. Prospect: Australian Journal of TESOL, v. 5, n. 7, p. 7-16, 1990
GOULART, C. Processo de Letramento na Infância: aspectos da Complexividade de Processos de Ensino-aprendizagem da Linguagem Escrita. In: SHOLZE, L.; ROSING, T. M. K. (Orgs). Teorias e Práticas de Letramento. Brasília. Ed. INEP, 2007.
KRAMER, S. Aprendendo coma criança a mudar a realidade. Revista Criança: Do Professor de Educação Infantil. Brasília, DF. Abril de 2005, nº 39, p 5-8.
MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa. 5. ed. São Paulo: Ed. Atlas, 2002
MOITA LOPES, L. P. (Org.). Discursos de identidades: discurso como espaço de construção de gênero, sexualidade, raça, idade e profissão na escola e na família. Campinas: Mercado de Letras, 2003.
____. Oficina de linguística aplicada. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1996.
PELEGRINI, D. Alfabetização e Cultura Escrita. Revista do Professor. Nova Escola. Maio de 2003, ano XVIII, p. 19-25
RIBEIRO, V. M. (Org). Letramento no Brasil. São Paulo. Global, 2003.
ROJO, R. Alfabetização e letramento: segmentação de práticas e (des)articulação de objetos de ensino. Perspectiva, v. 24, n. 2 jul./dez. 2006.
____. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.
SEGURA, D. S. B. Educação Ambiental na escola pública: da curiosidade ingênua à consciência crítica. São Paulo: Annablume: Fapesp, 2001. 214p
SOARES, M. B. Letramento: Um tema em Três Gêneros. 2 Ed. Belo Horizonte: Autentica, 2003.
SOUZA, G. R. Novos Significados para o Ensino e Aprendizagem de Inglês: O Letramento Critico em uma Turma de Aceleração. UFMG, Belo Horizonte/MG, 2014. Disponível em: Acesso em: 10 set. 2016.
STREET. B. V. Literacy in theory and practice. Cambridge: University Cambridge, 1984.
TFOUNI, L. V. Letramento e Alfabetização. 7 Ed. São Paulo: Cortez, 2005.
____. Letramento e Alfabetização. São Paulo: Cortez, 1995.
Publicado
2018-07-30
Como Citar
LAMBERT, Wenderson Roberto Gomes; SOUZA, Gasperim Ramalho de. A PROMOÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA AULA DE PORTUGUÊS: CONTRIBUIÇÕES DO LETRAMENTO CRÍTICO. HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 226-240, jul. 2018. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/4637>. Acesso em: 19 ago. 2018.