INTERAÇÃO SOCIAL: UM ELEMENTO FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINAR E APRENDER LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

  • Maiara Ramos Almeida UNEB
  • Romar Souza-Dias UNEB e UnB
Palavras-chave: Sociedade; Interação Social; Ensino; Aprendizagem; Língua Estrangeira.

Resumo

Objetivamos, no presente estudo, fazer uma reflexão sobre a relevância da interação social, compreendendo-a como um elemento facilitador no processo de ensinar e aprender línguas. Este trabalho é uma pesquisa bibliográfica de cunho qualitativo que tem por método a revisão da literatura. O aporte teórico que fundamenta esta discussão apoia-se na visão de Matui (1995), Oliveira (1997), Rego (2002), Vygotsky (1998; 2008). Os resultados confirmam a relevância e os benefícios da interação social como algo que, de fato, auxilia o processo de ensinar e aprender línguas. Nesse sentido, destacamos como imprescindível uma formação docente onde haja a percepção e, contudo, utilização de atividades inclusivas que promovam momentos de interação entre professor-aluno e aluno-aluno em sala de aula para que, a partir daí a comunicação possa favorecer a socialização do saber. Os novos significados, obtidos através do contato com uma língua estrangeira, fornecem aos alunos a possibilidade de se apropriarem de novos conhecimentos, construindo significados culturalmente situados em sua própria língua.

Biografia do Autor

Maiara Ramos Almeida, UNEB

Licenciada em Letras com habilitação em Língua Inglesa pela Universidade do Estado da Bahia- UNEB, (2015). Pós-graduada em Língua Inglesa: Fluência e Gramática Obrigatoriedade no Mundo Moderno (2015); e em Gestão e Planejamento Educacional (2015), ambas especializações pela Faculdade Montenegro na modalidade Lato Sensu.

Romar Souza-Dias, UNEB e UnB

Doutorando em Linguística pela Universidade de Brasília - UnB. Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade de Brasília - UnB. Professor Assistente da Universidade do Estado da Bahia - UNEB, Campus VI. Atua nos cursos de Língua Inglesa/Portuguesa e Literaturas. É também professor de Língua Inglesa do Colégio Estadual Idalice Nunes pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Foi coordenador da área de Língua Inglesa do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID do Departamento de Ciências Humanas, Campus VI da UNEB. Foi coordenador do Núcleo de Estudos Canadenses - NEC da Universidade do Estado da Bahia, Campus VI (2007 - 2011) onde se dedicou a questões de inserção social de alunos de classes sociais menos favorecidas através do ensino de Línguas Estrangeiras Inglês e Francês. Desenvolve pesquisas nas áreas de Análise de Discurso Crítica, Linguística Aplicada Crítica, Letramento Racial Crítico, Identidades Sociais e Ensino-Aprendizagem de Línguas e Formação de Professores por uma perspectiva crítica.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. de. Dimensões Comunicativas no Ensino de Línguas. 6ª ed. Campinas SP: Pontes Editores, 2010.
____. A abordagem comunicativa do ensino de línguas: promessa ou renovação na década de 1980? In: ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes de. Linguística Aplicada, Ensino de Línguas e Comunicação. 4ª ed. Campinas, São Paulo: Pontes Editores e ArteLíngua. 2011. p. 77-87.
BRASIL, Ministério da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998, p.120.
DAVIS et al. Papel e valor das interações sociais na sala de aula. Cadernos de pesquisa. 1989.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
LUCCI, M. A. A Proposta de Vygotsky: a psicologia sócio histórica. Revista de currículum y formación del profesorado. Universidad de Granada, Espanha, v. 10, nº2, 2006, p. 1-11. Disponível em: . Acesso em: 30 mai. 2017.
MATUI, J. Construtivismo: teoria sócio histórica aplicada ao ensino. São Paulo: Moderna, 1995.
MESQUITA et al. Repensando a competência comunicativa sob a ótica da complexidade. In: Revista Desempenho, Brasília: Universidade de Brasília, v. 10, n.16, p. 92-109, dez.2011. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2017.
MICCOLI, L. S. Refletindo sobre o processo de aprendizagem: um estudo comparativo. In: OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio- histórico. São Paulo, Scipione, 1997.
OLIVEIRA, C. L. Um apanhado teórico-conceitual sobre a pesquisa qualitativa: tipos, técnicas e características. Revista Travessias, 2009.
REGO, T. C. Vygotsky, uma pesquisa histórico-cultural da educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.
VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 2008.
____. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
Publicado
2018-06-30