O PARADIGMA TREINADOR E O PARADIGMA REFLEXIVO: INDICADORES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PROFISSIONAIS DE LÍNGUAS

  • Gervásio Martins Bandeira SEEDF
  • Juscelino da Silva Sant’Ana SEEDF

Resumo

O artigo trata de alguns aspectos de estudos sobre paradigmas em Linguística Aplicada (LA) sob duas perspectivas: apresentar dois paradigmas na formação de professores e refletir sobre o papel que eles desempenham. Para isso, foram retomados os conceitos de paradigmas na Educação e na LA, especialmente, na subárea de formação de professores.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Possui graduação em Letras pela Universidade de Brasília (1989), graduação em Letras-Tradução pela Universidade de Brasília (1990) e mestrado em Linguistica Aplicada pela Universidade de Brasília (2003). Atualmente é professor - Faculdade Santa Terezinha.

##submission.authorWithAffiliation##

Possui doutorado em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar (2017). Possui mestrado em Linguistica Aplicada pela Universidade de Brasília (2005).É professor da Secretaria de Estado de Educação do DF. Interessa-se principalmente pelos seguintes temas: operação global, competência de profissionais do ensino de línguas, competência aplicada, formação de profissionais do ensino de línguas.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Formação de Professores de Língua Estrangeira: Alguns Alinhamentos para Apoiar o Processo. Brasília, 2014 (mimeo)
____. Fundamentos da Abordagem e Formação no Ensino de PLE e de outras Línguas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.
____. O professor de língua estrangeira em formação. (Org.). Campinas, SP: Pontes, 2005.
____. O professor de línguas profissional, reflexivo e comunicacional. In Revista Horizontes de Linguística Aplicada, vol. 04, jul-dez., pág. 7-18. Brasília: Editora da UnB, 2004.
____. A abordagem orientadora da ação do professor. In: Almeida Filho, J. C. P. Parâmetros atuais para o ensino de português língua estrangeira. Campinas: Pontes, 1997.
____. Análise de abordagem como procedimento fundador de auto- conhecimento e mudança para o professor de língua estrangeira. In: Almeida Filho, J. C. P. (Org.). O professor de língua estrangeira em formação. Campinas: Pontes, 1999.
ALVARENGA, M. B. Configuração de Competências de um Professor de Língua Estrangeira (Inglês): implicações para formação em serviço. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada), Campinas, SP: [s.n.], 1999.
BANDEIRA, G, M. Porque ensino como ensino? A manifestação e atribuição de teorias informais no ensinar de professores de LE (inglês). Dissertação de mestrado. UnB, 2003.
BERBAUM, Jean. Aprendizagem e formação. Portugal: Porto Editora, 1993.
BEHRENS, Marilda. O Paradigma Emergente e a Prática Pedagógica. Petrópolis: Rio de Janeiro, Ed. Vozes, 2005.
BORGES, Elaine F. V. Uma Reflexão filosófica sobre abordagens e paradigmas na constituição da subárea Ensino-aprendizagem de LE/L2 na Linguística Aplicada. Tese (doutorado em Educação), USP, 2009.
CAPRA, Fritjof. A Teia da Vida. Uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996.
CAVALCANTI, Marilda. Reflexões sobre a Prática como Fonte de Temas para Projetos de Pesquisa para a Formação de Professores de LE. In: O Professor de Língua Estrangeira em Formação. Almeida Filho (org.). Campinas, SP: Pontes, 2ª ed., 2005.
CARDOSO, Clodoaldo Meneguello. A Canção da Inteireza. Uma visão Holística da Educação. São Paulo: Summus, 1995.
DUTRA, D. P.; MELLO, H. A Prática Reflexiva na Formação Inicial e Continuada de Professores de Língua Inglesa. In: Abrahão, M. H. V. Prática de Ensino de Língua Estrangeira: experiências e reflexões. Campinas, SP: Pontess Editores, ArteLíngua, 2004.
KUHN, Thomas S. The Structure of Scientific Revolutions. Fourth edition, The University of Chicago Press, Chicago, 2012.
____. A Estrutura das Revoluções Cientificas. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1970.
SANTOS, Boaventura Santos. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.
SCHÖN, Donald. Formar professores como profissionais reflexivos. In: Nóvoa, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote. 1997.
ZEICHNER, Ken. A Formação Reflexiva de Professores: idéias e práticas. Lisboa: Educa, 1993.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
BANDEIRA, Gervásio Martins; SANT’ANA, Juscelino da Silva. O PARADIGMA TREINADOR E O PARADIGMA REFLEXIVO: INDICADORES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PROFISSIONAIS DE LÍNGUAS. HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 128-143, jun. 2018. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/4472>. Acesso em: 15 dez. 2018.