METODOLOGIAS DE ENSINO VINCULADAS À PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE LÍNGUAS NA ATUALIDADE

  • Juliana Araújo Ribeiro UnB e SEEDF

Resumo

O presente trabalho almeja, primeiramente, explanar de maneira breve as várias metodologias de ensino, desde as mais tradicionais até as não-convencionais, permitindo-se fazer uma comparação entre elas, o que permanece e o que há de novo no ensino de línguas. Posteriormente, o enfoque será dado no ensino de línguas pautado em uma visão reflexiva, que fuja dos parâmetros tradicionais, fazendo uma explicação sobre o que é ser reflexivo, o modelo de professor de línguas que se observa nas escolas atualmente e finalizando, será feita uma análise das abordagens de ensino utilizadas por um professor considerado reflexivo, o que difere sua prática dos demais docentes. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e bibliográfica. As teorias sobre abordagens e metodologias no ensino de línguas estão pautadas principalmente nos estudos de Leffa (1988) e Cuq e Gruca (2005), o estudo sobre o professor reflexivo é respaldado por Pessoa (2002; 2011), Almeida Filho (2009) entre outros.


 


[1] Será compreendido nesse trabalho abordagens, métodos e metodologias como processos referentes à escolha de pressupostos, materiais, procedimentos e técnicas de ensino.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Transições e mudanças no Currículo de Formação de Professores de Línguas. In: FORTKAMP, M.B.M.; TOMITCH, L.M.B. Aspectos da Linguística Aplicada: Estudos em homenagem ao professor Hilário Inácio Bohn. Florianópolis: Insular, 2000. p. 33-47.
____. Linguística Aplicada- Ensino de línguas e comunicação. Campina, SP. Pontes editores e Arte Língua, 3ª edição, 2009.
CELANI, M. A. A. Ensino de Línguas Estrangeiras – ocupação ou profissão? In: LEFFA, V. (Org.). O professor de línguas estrangeiras - construindo a profissão. Pelotas, RS: EDUCAT, 2001, p. 21-40.
CUQ, J. P.; GRUCA, I. Cours de didatique du français langue étrangère et seconde. Presses universitaires de Grenoble, 2005. p. 253-280.
DETTONI, R. V. Reflexões sobre o lugar da variação linguística no ensino de português como segunda língua. In: SILVA K. A. et al (Orgs.) A formação de professores de línguas: Novos Olhares-Volume I. Campinas, SP. Pontes Editores, 2011, p. 97-112.
GIROUX, H. Escola crítica e política cultural. Tradução de ZIBAS, D. M. L. São Paulo: Cortez, 1987, 104 p.
LEFFA, V. J. Metodologia do ensino de línguas. In: BOHN, H. I.; VANDRESEN, P. Tópicos em linguística aplicada: O ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: Ed. Da UFSC, 1988, p. 211-236. Disponível em: Acesso em: 25 jan. 2013.
LIMA, A. P. et al. O ensino de língua inglesa no estado de SP Uma proposta em questão. In: SILVA, K. A (Org.) Ensinar e aprender Línguas na Contemporaneidade: Linhas e Entrelinhas. Campinas, SP. Pontes editores, v. 1. 2010. p. 149-184.
LÓPEZ, S. F. Las estratégias de aprendizaje. In: LOBATO, J. S.; GARGALLO, I. S. (Org) .Vademécum para la formación de profesores. SGEL, S.A. Alcobendas, Madrid, 2008. p. 411-433.
¬MOITA LOPES, L. P. Oficina de Linguística Aplicada: a natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. 2. ed. Campinas: Mercado de Letras, 1996, 190 p.
MOURA FILHO, A. C. L. Basta de clamarmos inocência: a formação reflexiva do professor contemporâneo de línguas. In: SILVA K. A. et al (Orgs.) A formação de professores de línguas: Novos Olhares-Volume I. Campinas, SP. Pontes Editores, 2011, p. 49-72.
NÉRI, Á. Perspectivas teóricas no processo de formação de professores: da racionalidade técnica às contribuições do Interacionismo Sociodiscursivo. In: Entretextos, Londrina, n. 6, p. 63-72, jan/dez. 2006.
PESSOA, R. R. A reflexão interativa como instrumento de desenvolvimento profissional: um estudo com professores de inglês da escola pública. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) 255f. PPGL/UFMG. Belo Horizonte. Faculdade de Letras UFMG. 2002.
______. Formação crítica de professores de línguas estrangeiras. In: SILVA K. A. et al (Orgs.) A formação de professores de línguas: Novos Olhares-Volume I. Campinas, SP. Pontes Editores, 2011, p. 31-47.
ROMERO, T. R.S. Construindo a inclusão de futuros professores de inglês. In: SILVA K. A. et al (Orgs.) A formação de professores de línguas: Novos Olhares-Volume I. Campinas, SP. Pontes Editores, 2011, p. 173-198.
SALGADO, A. C. P.; DIAS, F. H. A formação do professor de língua estrangeira: desenvolvimento profissional e prática reflexiva. Anais... XV EPLE-Encontro de Professores de Línguas Estrangeiras do Paraná –Línguas: Cultura, diversidade, integração. 2007, p 47-57.
SOARES, T. S. R.; CONCEIÇÃO M. P. Crenças e ações do professor na sala de aula: Um processo de perpetuação de abordagens tradicionais de ensino de vocabulário em língua estrangeira? In: SILVA, K. A. (Org.) Ensinar e aprender Línguas na Contemporaneidade: Linhas e Entrelinhas. Campinas, SP. Pontes editores, v. 1. 2010. p. 113-129.
STURM, L. As crenças de professores de inglês de escola pública e os efeitos em sua prática: um estudo de caso. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Rio grande do Sul, 2007.
VIEIRA-ABRAHÃO, M. H. A formação de professores de línguas: Passado, presente e futuro. In: SILVA, K. A. (Org.) Ensinar e aprender Línguas na Contemporaneidade: Linhas e Entrelinhas. Campinas, SP. Pontes editores, v. 1. 2010, p. 225-233.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
RIBEIRO, Juliana Araújo. METODOLOGIAS DE ENSINO VINCULADAS À PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE LÍNGUAS NA ATUALIDADE. HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 117-127, jun. 2018. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/4432>. Acesso em: 19 ago. 2018.