MULTILETRAMENTO E EMANCIPAÇÃO PARA APRENDIZES DE LI IMIGRANTES DIGITAIS: POR UMA PEDAGOGIA DA AUTONOMIA

  • Elkerlane Martins Araújo Moraes Instituto Federal do Tocantins

Resumo

No cenário pós-moderno em que nos movemos, exigências globais substanciam a relação educação e economia em todas as esferas, delegando à educação o papel de promover os objetivos de diferentes grupos sociais. Em decorrência, há uma disputa, sobretudo, respectiva aos currículos, que interfere no agir do professor. Essa realidade, acrescida dos avanços tecnológicos estreados pela globalização, tem demandado uma revisão nas bases curriculares e práticas pedagógicas que culmina num “deslocamento de identidade local para identidade global” (HALL, 2005). A partir disso, este artigo propicia reflexões sobre a agência do professor de língua inglesa (LI) no âmbito das TICs, considerando o contexto híbrido constituído pelos “nativos”, da era digital, e os “imigrantes” (PRENSKY, 2001). Derivado de uma pesquisa explicativa exploratória ancorada na Pedagogia da Autonomia (FREIRE, 1996), este ensaio traz uma experiência de letramento por meio da LI, no âmbito do PRONATEC, utilizando o Google tradutor como recurso pedagógico. Como resultado, o artigo apresenta um processo efetivo de letramento em três dimensões: a) inclusão digital e autonomia da aprendizagem; b) (re)conhecimento das estruturas linguísticas da língua nativa, e c) contato com as estruturas linguísticas da língua inglesa.

Referências

DE SOUZA, R. A. Um olhar panorâmico sobre a aprendizagem de línguas mediada pelo computador: dos drills ao sociointeracionismo. Fragmentos: Revista de Língua e Literatura Estrangeiras, v. 26, 2004.
FRASER, N. From redistribution to recognition? Dilemmas of justice in a ‘postsocialist’ age. In: S. Seidman; J. Alexander. (orgs.). The new social theory reader. Londres: Routledge, 2001. p. 285-293, 2001.
FREIRE, P. A Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2002.
____. Pedagogia da Autonomia - Saberes Necessários à Prática Educativa. Rio de Janeiro, Editora Paz e Terra, 1996.
GARDNER, R. C.; LAMBERT, W. E. Attitudes and motivation in second language learning. Rowley, MA: Newbury House, 1972.
GIROUX, H. Cruzando as fronteiras do discurso educacional: novas políticas em educação. Porto Alegre: Artes Médica, 1999.
HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.
IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.
KENNEDY, C. & BOLITHO, R. English for Specific Purposes. Basingstoke, Macmillan, 1984.
LEFFA, V. J. O ensino de línguas estrangeiras no contexto nacional. In: Contexturas, APLIESP, 1999, n. 4, p. 13-24.
____. O ensino do inglês no futuro: da dicotomia para a convergência. In: STEVENS, C. M. T.; CUNHA, M. J. C. (Orgs.). Caminhos e colheita: ensino e pesquisa na área de inglês no Brasil. Brasília: Editora UnB, 2003, p. 225-250.
____. Ensino de línguas: passado, presente e futuro. In: Revista de Estudos da Linguagem. v. 20, n. 02. jul/dez 2012, p. 389-411.
MATTOS, P. A sociologia política do reconhecimento: as contribuições de Charles Taylor, Axel Honneth e Nancy Fraser. São Paulo: Anna Blume, 2006.
MORAES, E. M. A., Letramento Oral em LI em contextos virtuais: Start new game. In: SÁ, R. L.; SOUZA, E. M. F.; NASCIMENTO, J. F. (Orgs). Letramento Oral: velhas rotas, novos rumos. Campinas: Pontes Editores, 2017, p.101-123.
MORIN, E. Por uma reforma do pensamento. In: NASCIMENTO, E. P.; PENA-VEJA, A. (Orgs.). O pensar complexo: Edgar Morin e a crise da modernidade. 3ª ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2001.
PAIVA, A. R. Apresentação. In: MATTOS, P. A sociologia política do reconhecimento: as contribuições de Charles Taylor, Axel Honneth e Nancy Fraser. São Paulo: Anna Blume, 2006.
PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants. MCB University Press, 2001.
SOUZA, L. M. T. M. A Política por trás da(s) Política(s) da Linguagem – Congresso Internacional de Linguística Aplicada Crítica, UnB, 2015. Anais... Disponível em http://www.uel.br/projetos/iccal/pages/arquivos/CADERNO%20DE%20RESUMOS/ICCAL_Caderno%20de%20Resumos_Univers%20Estadual%20Londrina.pdf>. Acesso em: 28 fev. 2018
RANCIÈRE, J. O mestre ignorante – cinco lições sobre a emancipação intelectual. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.
ROBINSON, P. ESP - English for Specific Purposes. Pergamon Press, 1980.
____. ESP today: a practitioner’s guide. Hertfordshire: Prentice Hall International, 1991.
SCHIFFMAN, H. Linguistic culture and language policy. (The politics of language.) London: Routledge, 1996.
WARSCHAUER, M. Computer Assisted Language Learning: an Introduction.
In Fotos S. (ed.) Multimedia language teaching, Tokyo: Logos International: 3-20, 1996.
WARSCHAUER, M. & HEALEY, D. Computers and language learning: An overview. Language Teaching, 31, 57-71, 1998.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
ARAÚJO MORAES, Elkerlane Martins. MULTILETRAMENTO E EMANCIPAÇÃO PARA APRENDIZES DE LI IMIGRANTES DIGITAIS: POR UMA PEDAGOGIA DA AUTONOMIA. HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 3, n. 4, p. 105-116, jun. 2018. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/4430>. Acesso em: 16 out. 2018.