O MANGÁ ENCONTRA O CLÁSSICO: GENJI MONOGATARI REVISITADO

  • Linda Midori Tsuji Nishikido Universidade Federal do Amazonas
  • Michele Eduarda Brasil de Sá

Resumo

Tendo como objeto a versão para o mangá do romance clássico japonês do século XI Genji Monogatari (A história de Genji), este trabalho visa apresentar algumas características encontradasnas histórias em quadrinhos, focalizando especialmente os aspectos que envolvem os elementos linguísticos e a linguagem dos recursos iconográficos.A pesquisa se justifica pelo crescimento da popularidade do mangá no Brasil nas décadas recentes,levando à necessidade de pesquisar os elementos utilizados no contexto da adaptação de uma obra clássica para o gênero mangá. Genji Monogatari é considerado o primeiro romance da literatura universal em extensão e sua versão completa em mangá, composta de dez volumes, foi publicada em 2008, de autoria da escritora e quadrinhista Waki Yamato, em comemoração aos mil anos da obra. A abordagem teórico-metodológica será conduzida do ponto de vista linguístico-textual, fundamentada nos postulados de Luiz Antônio Marcuschi, Sônia Bibe Luyten e Paulo Ramos.

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##
A Revista Hon no Mushi - Estudos Japoneses - é um períodico ligado ao Curso de Letras - Língua e Literatura Japonesa da UFAM e ao Grupo de Pesquisa Estudos Japoneses - UFAM. O Curso de Japonês funciona, desde 2011, no Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras - DLLE, do ICHL. Já a revista nasceu em 2016 com o intuito de divulgar as pesquisas relacionadas à Literatura, à Cultura e à Lìngua Japonesas.

Referências

BRASIL. MEC/SEF Parâmetros curriculares nacionais: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. Dicionário de Análise do Discurso. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2006.

FARACO, C. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar, 2003.

LUYTEN, Sonia Bibe. Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses. 2. ed.São Paulo: Hedra, 2000.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros Textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. et al. Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

_____. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

OKA, Arnaldo Massato. Tradução e adaptação de mangás para o português. In: Anais do VI Congresso Internacional de Estudos Japoneses no Brasil e XIX Encontro Nacional de Professores Universitários de Língua, Literatura e Cultura Japonesa. Rio de Janeiro: Gráfica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008.

RAMOS, Paulo. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Contexto, 2009.
YAMATO, Waki. The Tale of Genji, AsakiYumemishi. Tóquio: Kodansha, 2008.
Publicado
2017-02-07
Como Citar
TSUJI NISHIKIDO, Linda Midori; BRASIL DE SÁ, Michele Eduarda. O MANGÁ ENCONTRA O CLÁSSICO: GENJI MONOGATARI REVISITADO. HON NO MUSHI - ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES JAPONESES - ISSN 2526-3846, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 29-42, fev. 2017. ISSN 2526-3846. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi/article/view/2894>. Acesso em: 17 dez. 2017.

Palavras-chave

Mangá; Gênerotextual; Genji Monogatari.