CHAMADA DE TRABALHOS DOSSIÊ HARUKI MURAKAMI Volume 3, Número 5, 2018

2018-05-16

Difundida desde a década de 80 do século XX, a prosa ficcional de Haruki Murakami se apropria de elementos pós-modernos, integrando-se às múltiplas textualidades em que se desdobra o leito literário. Em suas obras, a construção da realidade é elaborada a partir da dupla engrenagem que emerge do inconsciente de seus personagens. Por esse modus operandi, em sua prosa poética, o matiz da palavra, por exemplo, não apresenta a nitidez da cor que revela o mundo, mas acaba por destacar e imprimir uma força que se instala na trama. A consciência do real só será notada após se percorrer os caminhos duplos tecidos por Murakami, especialmente sob a descentralização do espaço, sempre de forma ordenada.

A escrita de Murakami se configura como uma lupa que aumenta a visão do real, aportando detalhes periféricos não contemplados pelo olhar comum. Em seguida, são lançados na transformadora e inventiva força do fazer literário, a qual conduz e move o universo da escritura – afinal, são a palavra e o seu tempo: a voz que esclarece, humaniza o inconsciente e conecta emoções, não simplesmente pela temática que se apresenta ou resguarda, mas principalmente pelo alcance da linguagem, que se desloca para as fronteiras do espaço da narrativa e se firma enquanto discurso literário.

Preocupado com a mediação e a escrita, o escritor contesta e rompe normas, constituindo no solo literário a confluência harmônica de ação, personagens, o ir e vir, instituindo, desse modo, o caráter de um determinado setor da sociedade. E o setor social destacado por Murakami é o periférico. Parte da borda para o centro, ou seja, prioriza os detalhes, que passam despercebidos a um olhar mais desatento. As palavras aparentemente “soltas” vão equilibrando-se na narrativa e se tornam literárias, convergindo-se em tempo e espaço, não aceitando a imposição de uma única verdade, mas conduzindo o texto ao enquadramento do mundo sob múltiplos pontos de vista. Nessa perspectiva, a refração da literatura de Murakami é tomada pela consciência da força da palavra, pressupondo contornos descritivos como uma espécie de invólucro de segredos. Assim, fissuras são abertas na narrativa murakamiana, cujos rompantes imagéticos direcionam e constroem uma nova possibilidade para a engrenagem do texto. Ou simplesmente iluminam o cenário que circunda o personagem. Eclode, na recente criação, a partir do inconsciente, o vislumbre interior que explora o derredor.

Portanto, a Revista Hon no Mushi – Estudos Multidisciplinares JaponesesVolume 3, Número 5, 2018, contemplará o universo de Haruki Murakami, a tradução de suas obras, a escritura e os diversos e variados diálogos peculiares aos estudos literários, que se espraiam pelos territórios murakamianos. Participe com o seu texto!

 

Prazos para submissão dos artigos: até 15 de novembro de 2018.

Previsão de Publicação do Dossiê:  dezembro de 2018.

Consulte o site da revista e envie seu texto: http://www.periodicos.ufam.edu.br/HonNoMushi