CRÔNICAS

  • Francisca de Lourdes Souza Louro

Resumo

Na mesma esfera, tem a história dos polinizadores de flor de maracujá. Se a abelha não fez, fazem os curumins da aldeia. Por isso, em voz solene, sai a máxima dos meninos avisando à professora: Amanhã nós num vem estudá purque temo de imprenhá. Sãos as pequenas e delicadas mãos que fazem o fruto brotar e colorir nosso sabor. A polinização é feita pelos morcegos ou os pássaros, e na pressa de colher os homens contratam crianças e mulheres para fazer essa fecundAção. A natureza humana vive de acordo com as oportunidades da experiência. E eu aprendo a contar lorotas ouvidas na sala de aula. Saudades do meu JANAUACÁ. 

##submission.authorBiography##

Francisca de Lourdes Souza Louro

Prof.  de Ensino Supeior desde 1997. Ministra as disciplinas de Literatura e Língua Portuguesa.

Publicado
2018-09-13
Como Citar
LOURO, Francisca de Lourdes Souza. CRÔNICAS. Revista Decifrar, [S.l.], v. 6, n. 11, p. 169-182, set. 2018. ISSN 2318-2229. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/Decifrar/article/view/4412>. Acesso em: 21 out. 2018. doi: https://doi.org/10.29281/rd.v6i11.4412.
Seção
VÁRIA – POEMAS, CRÔNICAS, CONTOS, ENSAIOS, CAPÍTULOS DE ROMANCE

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.