A DEMONOLOGIZAÇÃO DO NEGRO EM DEL AMOR Y OTROS DEMONIOS

  • Cinthia da Silva Belonia Universidade Federal Fluminense

Resumo

Neste artigo aborda-se, no romance Del amor y otros demonios, de Gabriel García Márquez, publicado em 1994, a demonologização pela Igreja Católica do escravo negro e de brancos transgressores do discurso religioso como forma de dominação colonialista. Segundo se registra no prólogo do romance, em 26 de outubro de 1949, o autor/narrador, jornalista em busca de notícias, foi assistir a demolição das criptas do Convento de Santa Clara. A destruição do Convento para a construção de um hotel de luxo, não é, entretanto, o que chama a atenção do jornalista, mas a ossatura de uma menina de aproximadamente doze anos, com uma enorme cabeleira cor de cobre agarrada ao crânio, medindo 22 metros e 11 centímetros, encontrada nos escombros do Convento. Em sua lápide, havia apenas um nome sem sobrenomes: Sierva María de Todos los Ángeles. No romance, a personagem é acusada pela Igreja de ser vítima de possessão demoníaca. Essa acusação se deve não só ao comportamento agressivo da personagem, após ter sido atacada e mordida por um cão raivoso, mas também aos costumes de Sierva María, identificados com a cultura negra, uma vez que a menina branca era criada na senzala dos escravos de seus pais.

Publicado
2018-06-01
Como Citar
BELONIA, Cinthia da Silva. A DEMONOLOGIZAÇÃO DO NEGRO EM DEL AMOR Y OTROS DEMONIOS. Revista Decifrar, [S.l.], v. 6, n. 11, p. 59-73, jun. 2018. ISSN 2318-2229. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/Decifrar/article/view/4284>. Acesso em: 21 out. 2018. doi: https://doi.org/10.29281/rd.v6i11.4284.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.