A RECONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA NA LITERATURA AFRO-BRASILEIRA DE CONCEIÇÃO EVARISTO

  • NARA RUBIA GOMES DUARTE XAVIER UEG

Resumo

Este artigo busca discutir as nuances da construção identitária da mulher negra, a partir da personagem Maria-Nova do romance Becos da memória de Conceição Evaristo. Tal personagem apresenta, por meio de sua vivência, a história de um coletivo, o qual é permeado pela violência de classe e de gênero. Por meio dessa narrativa, elementos como gênero, raça, etnia e memória surgem como questões relevantes que promovem ao leitor uma reflexão sobre a realidade social brasileira. A temática é abordada por meio do recurso da memória, pelo qual a autora constitui uma escrita que identifica estrias sociais e aponta os empecilhos presentes na busca pela emancipação da mulher negra. Subsidiado por estudos teóricos e bibliográficos, este estudo traz uma análise do romance de Evaristo, refletindo sobre mulher negra ser testemunha de sua situação social. Nesse sentido, destaca-se que a literatura, em Conceição Evaristo, não apenas mantém elos com a memória coletiva e cultural, como demanda denúncia e conscientização social.

Referências

BHABHA, Homi. K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2005.

BERND, Zilá. Negritude e literatura na América Latina. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.

______. Introdução à literatura negra. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre a Filosofia da História. In: _______. Sobre arte, técnica, linguagem e política. Lisboa: Relógio D’Água, 1993.

CARNEIRO, Flávio. No país do presente: ficção brasileira no início do século XXI. Rio de Janeiro: Rocco, 2005.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura Brasileira Contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte, 2012.

DUARTE, Eduardo de Assis. “Por um conceito de literatura afro-brasileira”. IN: DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth Soares. (Org.) Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica, v. 4. Belo Horizonte: UFMG, 2011, p. 375-403.

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. 2. ed. Florianópolis: Mulheres, 2017.

FERREIRA, Amanda Crispim. Escrevivências, as lembranças afrofemininas como um lugar da memória afro-brasileira: Carolina Maria de Jesus, Conceição Evaristo e Geni Guimarães. 2013. 114p. Dissertação de mestrado (Mestrado em Letras – Estudos Literários), Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

IANNI, Octavio. Literatura e consciência. In: DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth Soares. (Org.) Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica, v. 4. Belo Horizonte: UFMG, 2011, p. 183-198.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2000.

MORICONI, Italo. A literatura ainda vale? In: CONGRESSO INTERNACIONAL ABRALIC. 8, 2002. Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2002, s/p.

REZENDE, Beatriz. A literatura brasileira na era da multiplicidade. In: ______.
Contemporâneo. Expressões da Literatura Brasileira no século XXI. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2008.

SHCOLLHAMER, Kark. Erik. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.
Publicado
2018-06-01
Como Citar
XAVIER, NARA RUBIA GOMES DUARTE. A RECONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA NA LITERATURA AFRO-BRASILEIRA DE CONCEIÇÃO EVARISTO. Revista Decifrar, [S.l.], v. 6, n. 11, p. 113-126, jun. 2018. ISSN 2318-2229. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/Decifrar/article/view/4269>. Acesso em: 17 dez. 2018. doi: https://doi.org/10.29281/rd.v6i11.4269.

Artigos mais lidos do mesmo autor

Obs.: Este plugin requer ao menos um plugin ou relatório de estatísticas para funcionar. Se seus plugins de estatísticas trabalham com mais de uma métrica, por favor selecione uma métrica principal na página de configuração disponível no painel do Administrador e/ou do Gerente do portal.