O NOTURNO NA POESIA DE CECÍLIA MEIRELES E DE ANA MARQUES GASTÃO

  • Karoline Alves Leite Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Resumo

Neste artigo, estuda-se, por meio da análise comparada teorizada por Tânia Franco Carvalhal, e por meio da teoria do devaneio artístico formulada por Gaston Bachelard, o tratamento poético dado à composição intitulada noturno, tendo como corpora as obras Doze Noturnos da Holanda (1952), da poeta brasileira Cecília Meireles, e Nocturnos (2002), da poeta portuguesa Ana Marques Gastão. Compreende-se e aproxima-se o noturno como expressão artística poética e o noturno como arte musical – gênero composicional específico –, atrelando-os à análise comparativa dos poemas das duas obras citadas. Na obra de Cecília Meireles, os doze noturnos compõem uma unidade e a noite envolve o mundo, revelando novas emoções e novos lugares. Nos noturnos de Ana Marques Gastão, por sua vez, a noite ocupa um lugar central. É com ela que o eu lírico deseja se relacionar e através disso busca defini-la. Observa-se que para cada noturno há um tópico em que elementos temáticos são tratados individualmente. Nesse sentido, depreende-se que, tanto na poesia quanto na música, o noturno é elaborado com intenso lirismo despertado pela atmosfera noturna. O aporte teórico é constituído pelas obras A poética do espaço (2008) e A poética do devaneio (1988), de Gaston Bachelard.

Biografia do Autor

Karoline Alves Leite, Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Karoline Alves Leite, nascida em 28/02/1995, graduanda do curso de Letras - Língua e Literatura Portuguesa da Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Referências

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. In: Os Pensadores XXXVIII. 1. ed. São Paulo: Abril Cultural, 2008.

___________, Gaston. A poética do devaneio. [Tradução Antônio de Pádua Danesi.] São Paulo: Martins Fontes, 1988.

BUESCU, Helena Carvalhão. Comparação e literatura. In: Grande Angular: comparatismo e práticas de comparação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

CARPINEJAR, Fabrício. Os animais escuros de Ana Marques Gastão. In: GASTÂO, Ana -Marques. Nocturnos. 2007, p. 7-10.

CARVALHAL, Tânia Franco. Literatura comparada. São Paulo: Ática, 2006.

DOURADO, Henrique Autran. Dicionário de termos e expressões da Música. São Paulo: Ed. 34, 2004.

GASTÃO, Ana Marques. Nocturnos. São Paulo: Lummer Editor, 2007.

MEIRELES, Cecília. Doze Noturnos da Holanda. In: Obra poética. Nota editorial de Afrânio Peixoto. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1972.

NEJAR, Carlos. A invencível noite. In: GASTÃO, Ana Marques. A definição da noite. São Paulo: Escrituras, 2003.

SANDIE, Stanley (Ed). Dicionário Grove de música: edição concisa. Tradução Eduardo Francisco Alves. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1994. p. 1048.

SILVA, Domingos Carvalho. Ludibriado, mal servido e desiludido – o público pelos críticos da poesia. O Tempo, s. I. , 22 jun. 1952 (2p.; dt; recorte de jornal. Arquivo Cecília Meireles número do documento 048). p. 02.

TAVARES, Hênio Último da Cunha. Teoria literária. Belo Horizonte: Itatiaia, 2002.

ZAGURY, Eliane. Cecília Meireles: notícia biográfica, estudo crítico, antologia, discografia, partituras. Petrópolis, Vozes, 1973.
Publicado
2018-01-07

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##