TEORIA DA HISTÓRIA E HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA: DEBATES E DESAFIOS DO CONHECIMENTO HISTÓRICO NO SÉCULO XXI

  • Evandro Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte (CERES-UFRN).
  • Glauber Cícero Ferreira Biazo Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Resumo

A imagem do anjo da história interpretada por Benjamin nas teses Sobre o Conceito de História (1940) ainda representa não apenas o fardo, mas também uma série de desafios que o século XXI tem apresentado aos historiadores. Para Benjamin, a produção de conhecimento histórico é vibrante e reverbera em direção ao passado a partir das reivindicações feitas no presente. Nesse sentido, a rememoração e a redenção são conceitos chave para a teoria da história benjaminiana e, ambos, apresentam um convite para se pensar sobre o papel fundamental da história para a formação integral dos cidadãos em uma democracia republicana.


Em um contexto fortemente marcado pelo refluxo das utopias, a perspectiva teórica benjaminiana inscreve, assim, o campo da Teoria da História em uma perspectiva social e política porque necessária e fundamental para a problematização da produção do conhecimento histórico, permitindo que personagens e questões consideradas mortas e enterradas possam ser compreendidas, reivindicadas e reinseridas no contexto contemporâneo. Como hóspedes efêmeros do tempo, Benjamin nos convida a desenvolver um comportamento crítico em relação à ingênua perspectiva implantada pela noção de progresso. Essa postura conservadora adotada por positivistas e alguns historicistas recusava abordar as reivindicações e lutas de resistência empreendidas por pessoas comuns. Sendo assim, as atividades culturais e políticas cotidianas permaneciam abandonadas por clivagens conceituais enrijecidas e presas a formulações teóricas cientificistas e, ingenuamente, empiristas. Como pensarmos outra história?

Publicado
2018-08-20
Como Citar
SANTOS, Evandro; BIAZO, Glauber Cícero Ferreira. TEORIA DA HISTÓRIA E HISTÓRIA DA HISTORIOGRAFIA: DEBATES E DESAFIOS DO CONHECIMENTO HISTÓRICO NO SÉCULO XXI. Canoa do Tempo, [S.l.], v. 10, n. 1, p. 1-10, ago. 2018. ISSN 2594-8148. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/Canoa_do_Tempo/article/view/4776>. Acesso em: 21 out. 2018.