"NÃO EXISTIA EMPREGO E A GENTE SE VIRAVA” – A CIDADE EM CRISE E O TRABALHO DE CARVOEIROS E CARVOEIRAS: MANAUS (1945-1967)

  • Sergio Carvalho Lima Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Resumo

Este artigo tem o objetivo de analisar os mundos do trabalho em carvoarias no período comumente denominado de “crise”, ou seja, pós surto gomífero, na região amazônica. Nesse sentido, busca perceber ainda, que a visão totalizante de uma cidade em crise e unicamente pelo viés da economia gomífera acabou limitando e esvaziando os diversos processos sociais e históricos da cidade, entre eles as experiências de inúmeras categorias de trabalhadores, como a dos carvoeiros e carvoeiras. A partir de fontes orais, imprensa e relatos memorialísticos, buscamos destacar esses sujeitos em suas múltiplas dimensões e experiências de viver e trabalhar.

Publicado
2018-08-24
Como Citar
LIMA, Sergio Carvalho. "NÃO EXISTIA EMPREGO E A GENTE SE VIRAVA” – A CIDADE EM CRISE E O TRABALHO DE CARVOEIROS E CARVOEIRAS: MANAUS (1945-1967). Canoa do Tempo, [S.l.], v. 10, n. 1, p. 153-175, ago. 2018. ISSN 2594-8148. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/Canoa_do_Tempo/article/view/4596>. Acesso em: 21 out. 2018.