HISTÓRIA, MEMÓRIA, PSICANÁLISE: PENSANDO OS DESDOBRAMENTOS DO PASSADO TRAUMÁTICO DA GUERRA CIVIL, DO FRANQUISMO E DA TRANSIÇÃO À DEMOCRACIA NA ESPANHA

  • FILIPE CAMBRAIA DO CANTO UFRGS

Resumo

O presente trabalho debruça-se sobre os desdobramentos da guerra civil, do franquismo e da transição à democracia na Espanha. O esforço teórico deste ensaio reside na tentativa de aproximar a história de outros dois campos do saber, quais sejam, a memória e a psicanálise. Segundo procuraremos mostrar, é este diálogo com a memória e com a psicanálise, com suas distintas visadas ao passado, que enriquece e fortalece a historiografia, apta quem sabe a dar ao passado uma narrativa que a carga traumática frequentemente veda. Este movimento é realizado através de três textos que são aproximados: um capítulo de O Impostor, no qual Javier Cercas esboça as trocas entre memória e história; um texto do historiador espanhol Ricard Vinyes, em que ele analisa as ações do Estado e suas consequências desde o período transicional até meados dos anos 2000; e, finalmente, um texto de Dominick Lacapra, em que são analisados alguns conceitos psicanlíticos, bem como sua utilidade para a história.

Publicado
2018-08-24
Como Citar
DO CANTO, FILIPE CAMBRAIA. HISTÓRIA, MEMÓRIA, PSICANÁLISE: PENSANDO OS DESDOBRAMENTOS DO PASSADO TRAUMÁTICO DA GUERRA CIVIL, DO FRANQUISMO E DA TRANSIÇÃO À DEMOCRACIA NA ESPANHA. Canoa do Tempo, [S.l.], v. 10, n. 1, p. 198-215, ago. 2018. ISSN 2594-8148. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/Canoa_do_Tempo/article/view/4100>. Acesso em: 21 out. 2018.