Estratégias e táticas coloniais: Práticas de consumo e aquisição de prestígio pelas lideranças indígenas na Amazônia (SÉC. XVII)

  • Fernando Roque Fernandes Universidade Federal do Pará (UFPA)
Palavras-chave: Protagonismo Indígena, Estratégias e Táticas, Amazônia Colonial.

Resumo

Este trabalho apresenta uma breve reflexão sobre a atuação política das lideranças indígenas no século XVII. O espaço escolhido para tal análise foi a Amazônia Colonial, denominada naquele período de Estado do Maranhão, o qual se constituía como colônia independente daquela denominada Brasil. A perspectiva teórica de análise dialoga com as propostas de Michel de Certeau pensadas a partir das estratégias e táticas cotidianas. Além disso, o interesse pela evidenciação do protagonismo indígena na história do Brasil também se constitui como perspectiva de análise. Para a evidenciação dos fenômenos que poderíamos denominar de agências indígenas, nos utilizamos do acervo documental do Arquivo Histórico Ultramarino digitalizado através do Projeto Resgate. Acreditamos que os sujeitos indígenas não foram passivos no processo de colonização. Uma análise do cotidiano sócio-político da Amazônia Colonial, no século XVII, nos possibilitará evidenciar tal fenômeno.

Biografia do Autor

Fernando Roque Fernandes, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutorando em História Social da Amazônia pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Pará (PPHIST/UFPA). Mestre em História Social pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas (PPGH/UFAM). Graduado no Curso de Licenciatura Plena em História pelo Centro Universitário do Norte (UNINORTE). É Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Professores e Relações Étnico-Raciais (GERA/UFPA).

Publicado
2017-10-18