Milhares de braços úteis: o trabalho indígena na Manaus Provincial (1858-1880)

  • Bruno Miranda Braga Universidade Federal do Amazonas -UFAM.
Palavras-chave: Índios, Cidade, Trabalho.

Resumo

O artigo apresenta aspectos do uso da mão de obra indígena na cidade de Manaus durante o período provincial. Abordaremos a presença dos índios em termos institucionais, apresentamos como o viver da cidade fez do índio uma nova categoria urbana, a de trabalhadores, e como estes exerciam diversos ofícios no fazer da cidade da borracha. Mostraremos as resistências desses sujeitos e suas práticas na lógica cotidiana da cidade, seus diversos usos na esfera pública.

Biografia do Autor

Bruno Miranda Braga, Universidade Federal do Amazonas -UFAM.

Graduado em História pelo UNINORTE Laureate, e em Geografia pela Universidade do Estado do Amazonas UEA. Mestre em História Social pela Universidade Federal do Amazonas UFAM. Pesquisa sobre o Amazonas no periodo Imperial, detacando as culturas, os discursos e, as populações indígenas do período.

Referências

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses Indígenas: Identidade e Cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.

BENCHIMOL, Samuel. Amazônia: um pouco antes e além depois. Manaus: Editora Umberto Calderaro, 1977.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

COSTA, Francisca Deusa Sena da. Quando viver ameaça à Ordem Urbana: Trabalhadores Urbanos em Manaus (1890/1915). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP. Dissertação de Mestrado em História, 1997.

DIAS, Edinea Mascarenhas. A Ilusão do Fausto: Manaus, 1890-1920. 2ª ed. Manaus: Valer, 2007.

FALA dirigida a Assembleia Legislativa Provincial do Amazonas, no dia 1.o de outubro de 1853, em que se abriu a sua 2.a sessão ordinária, pelo Presidente da Província, o conselheiro Herculano Ferreira Penna. Manáos, Amazonas: Typ. de M.S. Ramos, 1853. p. 54 Acervo IGHA.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 6ª ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998. p. 48.

FOUCAUT, Michel. A Ordem do Discurso. Aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 02 de dezembro de 1970. Trad. de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: edições Loyola, 1996.

JORNAL Estrella do Amazonas, nº 280, de 27 de março de 1858. Expediente de 23 de março de 1858. Acervo da Biblioteca Nacional. Disponível em: http://bndigital.bn.br/acervo-digital/estrella-amazonas/213420. Acesso em 12/01/2016.

JORNAL Estrella do Amazonas, nº 346 de 25 de dezembro de 1858, expediente de 20 de agosto de 1858.

JORNAL Estrella do Amazonas, nº 389, de junho de 1859. Expediente de 03 de janeiro de 1859. Acervo da Biblioteca Nacional. Disponível em: http://bndigital.bn.br/acervo-digital/estrella-amazonas/213420. Acesso em 13/01/2016

LANNA, Ana Lúcia Duarte. Uma Cidade na Transição: Santos: 1870-1913. São Paulo: Editora HUCITEC/Prefeitura Municipal de Santos, 1996.

LENONARDI, Victor. Entre Árvores e Esquecimento: História Social nos Sertões do Brasil. Brasília: Editora da UNB/Paralelo 15 editores, 1996.

MESQUITA, Otoni Moreira. La Belle Vitrine: Manaus entre dois tempos (1890-1900). Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas EDUA, 2009.

MONTEIRO, John Manuel. Armas e Armadilhas: História e Resistência dos Índios. In: NOVAES, Adauto. (Org.) A Outra Margem do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

MONTEIRO, Mário Ypiranga. A Catedral Metropolitana de Manaus (sua longa história). Manaus: Edições Muiraquitã, 2012.

MONTEIRO, Mário Ypiranga. Arquitetura: Tratado sobre o Prédio Amazonense. Manaus: sem editora, 2006.

RABÊLO, Ana Paula de Souza. Do Templo de Taipa ao Templo de Pedra: A construção da Igreja Matriz de Manaus (1858 – 1878). Manaus: Dissertação de Mestrado em História, Universidade Federal do Amazonas –UFAM, 2008.

RELATÓRIO que a Assembleia Legislativa Provincial do Amazonas apresentou na Abertura da Sessão Ordinária no dia 03 de maio de 1859. Francisco José Furtado, Presidente da mesma Província. Manáos: Typografia de Francisco José da Silva Ramos, 1859. Anexo 04. Acervo do IGHA.

RELATÓRIO que a Assembleia Legislativa Provincial do Amazonas apresentou na Abertura da Sessão Ordinária em o dia 3 de maio de 1859 Francisco José Furtado, presidente da mesma Província, Manáos, Typ. de Francisco José da Silva Ramos, 1859. Anexo 04. Acervo do IGHA.

SAMPAIO, Patrícia Maria Melo. Os Fios de Ariadne: Fortunas e Hierarquias Sociais na Amazônia, Século XIX. 2ª Ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014.

SAMPAIO, Patrícia Melo. Desigualdades Étnicas e Legislação Colonial Pará, C. 1789 – C.1820. In: Amazônia em Cadernos. Manaus: Editora da Universidade do Amazonas, nº 06, 2000.

SAMPAIO, Patrícia Melo. Educação, trabalho e diversidade étnica: Educandos Artífices e Africanos livres na Amazônia, século XIX. In: COELHO, Wilma de Nazaré Baía e COELHO, Mauro Cézar (Orgs) Trajetórias da diversidade na Educação: formação, patrimônio e identidade. São: Editora Livraria da Física, 2012, pp. 19-50.

SANTOS, Francisco Jorge dos. Além da Conquista: Guerras e Rebeliões na Amazônia Pombalina. 2ª ed. Manaus: Editora da Universidade do Amazonas, 2002.

SONTAG, Susan. Sobre Fotografia. São Pulo: Companhia das Letras, 2004.

TEIXEIRA, Carlos Corrêa. Visões da Natureza: Seringueiros e colonos em Rondônia. São Paulo: EDUC, 1999.

UGARTE, Auxiliomar Silva. Sertões de Bárbaros. O Mundo Natural e as Sociedades Indígenas da Amazônia na Visão dos Cronistas Ibéricos (Séculos XVI-XVII). 1. ed. Manaus: Editora Valer, 2009.

UGARTE, Maria Luíza. A Cidade Sobre os Ombros: Trabalho e Conflito no Porto de Manaus (1899-1925). Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas EDUA, 2003

Publicado
2017-12-18