ESTUDO SOBRE BURNOUT EM ALUNOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA - FEFF DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS – UFAM

  • Nelzo Ronaldo de Paula Cabral Marques Junior
  • Thomaz Décio Abdalla Siqueira
  • Bruna Gabrielly Vinhote de Souza
  • Cylmara Verçosa Marinho Fernandes
  • Carla de Oliveira Duarte
  • Jociani Andrade Reuse
  • Lorena Cristier Nascimento de Araújo
  • Rakelen Ribeiro de Menezes
  • Suzanny Cristinne Paiva de Lima

Resumo

Introdução: O burnout é uma síndrome entendida como um processo constituído por três dimensões (exaustão profissional, despersonalização e baixa realização profissional). Mudanças em sua concepção original – cuja ênfase era nos profissionais da área de saúde, de educação e de trabalhos pessoais – ocorreram ao longo dos anos, de forma que hoje se entende que a síndrome pode manifestar-se em indivíduos de qualquer ocupação, inclusive durante a fase pré-profissional. A profissão médica apresenta altos índices de indivíduos com algum nível de burnout, devido tanto a características próprias dessa atividade quanto a mudanças recentes na prática médica. A palavra burnout foi usada primeiramente pelo médico psicanalista e pesquisador Freudenberger (no período de 1075 e 1977) que relatou este fenômeno como um sentimento de fracasso, acompanhado de sintomas de exaustão causado por um excesso de desgaste de energia. No final da investigação o pesquisador incluiu sintomas como: comportamentos de fadiga, depressão, irritabilidade, aborrecimento, sobrecarga de trabalho (estudo), rigidez e inflexibilidade. Objetivo Geral: Alertar para a necessidade de intervir junto aos acadêmicos no sentido de prevenir as consequências negativas do Burnout e melhorar seu bem-estar e estilo de vida, promovendo recursos individuais e sociais importantes. Objetivos Específicos: identificar a distribuição fatorial através da avaliação do Inventário do Maslach Burnout (MBI) nos discentes do Curso de Licenciatura Diurno IB02 e Noturno IB16 da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia; Detectar sintomas de exaustão através do uso do Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de LIPP (ISSL) nos acadêmicos do Curso de Licenciatura Diurno IB02 e Noturno IB16 da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia; Deflagrar a importância do diagnóstico precoce através do uso do Protocolo de Identificação do Estresse Acadêmico indícios de situações estressantes nos acadêmicos do Curso de Licenciatura Diurno IB02 e Noturno IB16 da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia. Método: Os dados foram coletados de acadêmicos internos do curso de licenciatura em Educação Física do Curso Diurno IB02 e Noturno IB16 da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia – FEFF da Universidade Federal do Amazonas - UFAM mediante utilização de um (01)PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO DAS CAUSAS DO ESTRESSE ACADÊMICO ADAPTADO DO INVENTÁRIO DE BURNOUT DE MASLACH (MBI) é autoaplicável, entretanto foi acompanhado para dirimir as dúvidas que poderão surgir no período de aplicação. Analisar o comportamento psicométrico (fidedignidade e validade de construto) do MBI numa amostra de alunos do Curso de Licenciatura Diurno e Noturno da FEFF. Só saberemos o número exato da amostra no início do período em março de 2018 com o objetivo de analisar a prevalência da síndrome nas populações citadas. O ISSL só poderia ser aplicado pelas duas alunas de psicologia, acompanhadas e supervisionadas pelo coordenador do projeto que tem a formação em psicologia. Também usamos o Protocolo de Identificação das Causas do Estresse Acadêmico elaborado pela equipe para que pudéssemos identificar alguns indícios de estresse. Resultados: Quando o estudante encontra dificuldades em se adaptar em meio às situações próprias da profissão, ou mesmo quando não se mostra satisfeito com a escolha profissional, podem ser identificadas fontes de sofrimento e estresse, com possíveis repercussões para o próprio estudante em seu futuro profissional, para o ambiente e as relações de trabalho com os diferentes sujeitos com os quais virá interagir e para o cuidado do estado. Todas essas questões pareceram contribuir para a dificuldade em organizar-se às novas funções e atribuições estabelecidas pela futura profissão, a qual exige cuidado, flexibilidade e complexidade na assistência a outro ser humano, iniciando, assim, situações de estresse e instabilidade emocional que podem levar esses estudantes ao desenvolvimento da Síndrome de Burnout. No cenário nacional, estudos acerca do burnout é mais frequente na literatura com acadêmicos de enfermagem (evidenciaram que os estudantes pesquisados não apresentavam a síndrome. Contudo, esses estudos foram realizados em instituições privadas, o que requer a investigação da Síndrome de Burnout também entre estudantes de instituições públicas, a fim de verificar possíveis diferenças entre esses contextos.


 


Palavras-chave: Burnout, estrese, acadêmicos do curso de licenciatura, educação física.

Publicado
2018-12-19
Como Citar
JUNIOR, Nelzo Ronaldo de Paula Cabral Marques et al. ESTUDO SOBRE BURNOUT EM ALUNOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA - FEFF DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS – UFAM. BIUS -Boletim Informativo Unimotrisaúde em Sociogerontologia, [S.l.], v. 10, n. 2, p. 1-93, dez. 2018. ISSN 2176-9141. Disponível em: <http://periodicos.ufam.edu.br/BIUS/article/view/5024>. Acesso em: 18 jan. 2019.